Prévias expõe fragilidade no PSDB goiano

As poucas lideranças que ainda estão no partido demonstram insatisfação pela falta de hegemonia e direção dentro da sigla

A eleição interna do PSDB para escolher o candidato que vai representar o partido na disputa ao Palácio do Planalto em 2022, expôs a falta de unidade no ninho tucano em Goiás. O grupo do ex-governador de Goiás e presidente afastado do PSDB, José Eliton (PSDB), publicou uma carta aberta de apoio ao governador Eduardo Leite nas prévias. A atitude demonstrou a divisão que há na sigla.

PSDB é o partido que naturalmente representa a oposição em Goiás. O partido, embora possa não encabeçar uma chapa na disputa ao governo do Estado, é o que mais articula e trabalha para formar um bloco de enfrentamento ao governador Ronaldo Caiado (União Brasil). Entretanto, ficou claro a falta de união e as divergências internas que o partido enfrente.

O ex-governador Marconi Perillo, é quem presidente interinamente a sigla, e sua posição é diferente da carta divulgada por José Eliton. Em nota, Perillo informou que o diretório do PSDB em Goiás não havia se reunido e nem tomado nenhuma decisão em relação a oficializar apoio a qualquer candidato. Marconi já havia declarado anteriormente apoio a João Dória.

Para as prévias, a participação dos tucanos é pequena. Representa apenas 2% dos votos. Os membros do partido que tem direito ao voto somam 216 nomes, que possuem mandato, incluindo prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e deputados.

Para além das prévias, estes tucanos veem o partido fragilizado e sem uma união que possa liderar uma oposição ou articulações sólidas para as eleições de 2022. São por essas e outras que o PSDB sofre com as debandadas de filiados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.