Prefeito diz que, se Caiado for eleito, funcionalismo vai sentir falta dos governantes tucanos

Valmir Pedro afirma que escolha da Cidade de Goiás para início da campanha sinaliza uma volta aos tempos dos coronéis

Valmir Pedro, prefeito de Uruaçu: “Caiado não tem preocupações municipalistas e sociais”

O prefeito de Uruaçu, Valmir Pedro (PSDB), afirma que “aquilo que está no sangue o tempo não apaga. Na década de 1930, o interventor Pedro Ludovico decidiu construir Goiânia, a nova capital do Estado, para conseguir governar Goiás. Na Cidade de Goiás, então berço do coronelismo da República Velha, estaria cercado pelas forças contrárias à modernização empreendida pela Revo­lução de 1930. Ao escolher a Cidade de Goiás para o start de sua campanha de governador pelo DEM, o senador Ronaldo Caiado sinaliza uma volta, ainda que simbólica, aos tempos do coronelismo. É uma reação, nada inconsciente, à modernização empreendida por Pedro Ludovico, Coimbra Bueno, Mauro Borges, Irapuan Costa Junior, Iris Rezende, Henrique Santillo e Marconi Perillo”.

Valmir Pedro sustenta que “os atos às vezes dizem mais do que as palavras”. O prefeito frisa que “os dias do Caiadinho Paz e Amor estão contados. O senador não conseguirá se apresentar sorridente o tempo inteiro”.

O prefeito destaca que, “se Caiado tivesse sido eleito governador em 1994, Goiás não teria programas sociais, como o Renda Cidadã e a Bolsa Universitária, e um programa municipalista, como o Goiás na Frente. Caiado não tem espírito municipalista e não tem preocupações sociais”.

Na visão de Valmir Pedro, “o funcionalismo público tem de ficar ‘esperto’. Aqueles que estão empolgados com Caiado talvez não saibam que, se ele for eleito, vão ‘penar’. Ele é do tipo de político que não manterá diálogo com os segmentos organizados dos trabalhadores.
Sindicatos e associações possivelmente sofreriam em suas mãos. Greves? Nem pensar. Anote: se Caiado for eleito governador, o que não acho provável, o funcionalismo público vai sentir falta da democracia do ex-governador Marconi Perillo (PSDB) e do governador José Eliton (PSDB)”.

A criação de uma espécie de Estado do Bem-Estar em Goiás se deve, segundo Valmir Pedro, à concepção moderna de Marconi Perillo. “Marconi, com o Renda Cidadã e, também, com a Bolsa Universitária, mostra que, como governante, entendeu que é preciso criar oportunidades para os mais pobres partilharem os dividendos do crescimento econômico. Ele é um desenvolvimentista”.

A situação da saúde em Goiânia é caótica porque, sublinha Valmir Pedro, “o prefeito Iris Rezende não tem uma política qualitativa para o setor. Se a imagem da saúde é ruim na capital isto se deve não ao governo do Estado, e sim à prefeitura, que não faz a sua parte, praticamente abandonando os cais ao deus-dará. As unidades de saúde do governo do Estado, geridas por organizações sociais, são eficientes e têm a aprovação dos usuários, da sociedade.
Mas a gestão ineficaz de Iris contamina toda a imagem da área de saúde. Embora médico, Caiado nada diz sobre o caos da administração do emedebista, optando por criticar a gestão estadual”.

1 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Amália de Cássia

Coronelismo em Goiás irá voltar?????

Mariana Rasmussen

Ja tem 20 anos