PPS adere e contribui para formar o G-4. O grupo pretende lançar candidato a prefeito de Anápolis

O grupo político denominado de G-3, encabeçado pelas siglas (PSD, PHS e PEN), ganha mais um aliado na composição do quadro partidário do movimento. Na quarta-feira, 25, o PPS, sinalizou aos líderes do movimento que vai aderir à sigla — formatando o G-4, como será chamado daqui pra frente.

O movimento que nasceu com a proposta de fazer política de uma forma diferenciada, cujo principal objetivo é colocar em pauta as questões sociopolíticas não apenas nas vésperas da eleição, chamou atenção do presidente do PPS, André Almeida (foto), que, na última reunião, firmou aliança com o grupo. Para os fundadores do G-3, a vinda do PPS ao movimento, possibilita ganho de força e qualidade na conjuntura política do município.

A formação do grupo, em Anápolis, representa o crescimento da terceira via que aos poucos está ganhando força e espaço para discutir as propostas políticas de 2016. Por enquanto, não é de interesse do G-4 apontar nomes que possa compor a chapa majoritária no próximo pleito. O grupo se mantém focado no projeto de dialogar com a sociedade.

O G-4 não descarta a possibilidade de expansão do grupo e ressalta que está de portas abertas para todos os partidos que pensam da mesma forma e pretendem se unir ao movimento. O grupo que ganhou notória visibilidade no cenário político, em Anápolis, tem sido procurado assiduamente por partidos que já estão de olho em 2016.

Lançado oficialmente no dia 29 de janeiro deste ano, o grupo é liderado pelos presidentes municipais: Thiago Sousa (PSD), Pastor Elismar (PHS) e Domingos do Cedro (PEN) juntamente com a militância da três siglas. No entanto, a intenção é buscar ainda mais adesão de outros partidos interessados em abraçar o projeto.

A soma das siglas possibilitou ao grupo intitulado de Anápolis Melhor elaborar um projeto diferenciado que promete dialogar de perto com a sociedade. A intenção é ministrar mensalmente seminários nas regiões de Anápolis com temas que agregam a participação popular, como educação, saneamento, segurança, saúde, mobilidade urbana, juventude, desenvolvimento socioeconômico, drogas e sustentabilidade.

O grupo começa em março um ciclo de 10 debates, cuja finalidade é elaborar um documento que será chamado de Carta Anápolis, onde serão anotadas todas as reivindicações da população. O primeiro encontro está marcado para quinta-feira, 5, no bairro Calixtolândia, às 19h30, na Rua Roque Moreira, quadra 10, lote 16, Residencial Itatiaia.

Deixe um comentário