PP pode eleger Esperidião Amin pro Senado e PRB pode eleger João Campos pra Câmara

Vanderlan Cardoso diz que sinalização de Jair Bolsonaro garante vitória do deputado goiano

Com problemas dentários — uma cirurgia acabou sendo problemática (“por minha culpa mesmo, que não cumpri o repouso devido”) —, o senador eleito Vanderlan Cardoso, do PP, afirma que ficou fora do circuito político por alguns dias.

Vanderlan Cardoso esteve em Brasília e articula a eleição do próximo presidente do Senado. “O PP tem um candidato a presidente, Esperidião Amin, um político experiente e de alta qualidade. O presidente do Senado precisa ter espírito de estadista, e Esperidião Amin é talhado para dirigi-lo. Estou torcendo para que viabilize sua candidatura e seja eleito. Aliás, não estou apenas torcendo. Estou trabalhando por sua candidatura. Os demais candidatos são fortes.” Disputam Renan Calheiros (MDB), a maior raposa do Senado, Simone Tebet (MDB), Álvaro Dias (Podemos), Coronel Ângelo (PSD) e Esperidião Amim. Izalci Lucas, eleito agora, também pretende colocar seu nome. “A partir de 20 de janeiro, o quadro ficará claro.”

Para a Câmara dos Deputados, João Campos tem chance de se tornar presidente? “João Campos, por ser articulado e ter forte presença entre os deputados evangélicos e policiais, tem chance. É diplomático, não tem arestas e é ético. Nunca esteve envolvido em confusões. Isso conta muito. Tem experiência na Câmara, pois está lá há vários anos.

Rodrigo Maia é articulado, sabe operar nos bastidores de Brasília. É um adversário forte. Estive na posse do goiano Leonardo Morais — um jovem extraordinário — na presidência da Anatel, em Brasília, e tanto Rodrigo Maia quanto João Campos estavam lá. Quer dizer, os dois estão articulando de maneira intensa. A eleição se dará no início de fevereiro, com Jair Bolsonaro já como presidente, e isto terá um peso especial. Ele não precisa apoiar João Campos, mas se sinalizar que é o candidato pelo qual tem mais apreço, o político goiano provavelmente será eleito. Ele é a renovação. Rodrigo Maia é um articulador hábil e tranquilo. Mas a Presidência da República, mesmo se interferir minimamente, tem uma força decisiva.”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.