Tentando “estadualizar” uma eleição municipal, Marconi Perillo é o principal cabo eleitoral da tucana Lêda Borges

A principal aposta do ex-governador Marconi Perillo (PSDB) no Entorno de Brasília é a deputada estadual Lêda Borges — pré-candidata do PSDB a prefeita de Valparaíso de Goiás. O tucano planeja disputar mandato de deputado federal em 2022 e está tentando plantar os pés na região — que, no momento, só tem um deputado federal, Célio Silveira, do PSDB. O objetivo de Perillo, ao se instalar no Entorno, tendo Lêda Borges como escudeira, é tentar se eleger e, ao mesmo tempo, tentar derrotar Célio Silveira, que, em Luziânia, apoia o pré-candidato a prefeito do DEM, o deputado Diego Sorgatto, e, em Valparaíso, apoia o pré-candidato do MDB, o prefeito Pábio Mossoró. O marconismo considera, nas cidades que ficam nas proximidades da capital nacional, que têm dois adversários, até inimigos: o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, do Democratas, e Célio Silveira.

Pábio Mossoró, prefeito de Valparaíso de Goiás | Foto: Reprodução

Ante a articulação tucana, que tenta cercar Valparaíso — frise-se que pesquisa registrada da TV Record de Brasília, do instituto Real Time Big Data, apresenta o prefeito liderando, e com Lêda Borges em segundo lugar —, o governador Ronaldo Caiado pode acabar bancando a reeleição de Pábio Mossoró.

A política funciona mais ou menos assim: “O inimigo do meu inimigo é meu amigo”. O prefeito Pábio Mossoró é, em Valparaíso, o único que tem condições reais de derrotar Lêda Borges. Portanto, o alvo prioritário, até por realismo político, é a parlamentar. O gestor município tende, portanto, a receber o apoio do governador Ronaldo Caiado — assim como já tem o apoio do deputado federal Glaustin da Fokus, do PSC, partido ligado à base governista.

O governador Ronaldo Caiado e Pábio Mossoró já conversaram a respeito da política de Valparaíso, em Brasília, há poucos dias. Deixaram as portas abertas para uma aliança político-eleitoral.