Popularidade de Ronaldo Caiado assusta oposição e deve reduzir críticas na campanha

Vanderlan Cardoso e Maguito Vilela lutaram pelo apoio de Caiado porque a população avalia bem o governador de Goiás

O fato que mais chamou atenção dos analistas políticas, nos últimos 15 dias, foi a tentativa, até desesperada, do ex-governador Maguito Vilela, do MDB, e do senador Vanderlan Cardoso, do PSD, para conquistar o apoio do governador Ronaldo Caiado, do Democratas, para a disputa da Prefeitura de Goiânia. O gestor estadual se tornou, mais do que um “cabo”, um verdadeiro “general” eleitoral. Na verdade, “o” general.

Até pouco tempo, poucos pré-candidatos consistentes lutavam para o ter apoio do governador do Estado na campanha para prefeito de Goiânia. A capital é considerada uma “cidade de oposição”, com um eleitorado altamente independente, basicamente de classe média. Trata-se de um eleitorado que vota em quem quer.

O eleitorado continua autônomo, crítico e atento. Mas alguma coisa mudou. O indivíduo que está sentado na cadeira de governador, Ronaldo Caiado, segundo pesquisas encomendadas pelo MDB de Maguito Vilela e pelo PSD de Vanderlan Cardoso, está muito bem avaliado pelos eleitores, e em áreas nas quais políticos em geral são mal avaliados.

Ronaldo Caiado: governador de Goiás — mudança no modo de gerir a coisa pública | Foto: Reprodução

Pesquisas quantitativas e qualitativas indicam que Ronaldo Caiado está bem avaliado em todo o Estado, inclusive em Goiânia. Daí a ânsia de Maguito Vilela e de Vanderlan Cardoso para obter o seu apoio.

Os eleitores dizem que percebem em Ronaldo Caiado uma imensa boa vontade em fazer o que é certo para beneficiar Goiás, e não apenas grupos políticos e econômicos. O público entendeu perfeitamente que a discussão sobre os incentivos fiscais — a renúncia fiscal estava prejudicando a arrecadação do governo — tinha como base beneficiar todos os goianos, e não apenas empresários. O que está em jogo é sobrar mais recursos para investir em educação, saúde, segurança pública e social.

O ajuste fiscal, que permite que Goiás respire — há Estados (até gigantes como Minas Gerais e Rio de Janeiro) em situação muito difícil —, também é perfeitamente compreendido pelos eleitores.

Mas há uma questão crucial, às vezes negligenciada pelos analistas, mas que aparece, com força, nas pesquisas qualitativas: a honestidade do governador é notada e apreciada pela população. As pessoas dizem que Goiás precisava de um governador decente, e agora o tem. O peso disso na aprovação de Ronaldo Caiado é imenso. Os políticos, que são verdadeiras antenas para captar tendências, entenderam isto. Por isso, como no caso de Maguito Vilela e Vanderlan Cardoso, querem ficar próximos do governador.

Há outro ponto que não é examinado com o devido cuidado, mas as pessoas têm ideias claras a respeito. Os eleitores não estão interessados em gestores que fazem grandes obras, e às vezes nem conseguem terminá-las, e mesmo com vários aditivos. Segundo qualis, os eleitores associam obras, sobretudo as faraônicas e quase intermináveis, com corrupção. Quanto mais obras, mais o Erário é assaltado. Isto na opinião dos eleitores. Na Assembleia Legislativa há deputados que dizem que Ronaldo Caiado faz um governo sem obras. Deviam verificar o que estão dizendo os eleitores. Eles dizem que sabem que Ronaldo Caiado está “consertando” estradas que, apesar dos aditivos e das restaurações frequentes, foram malfeitas. Acrescentam também que há obras. Há os que frisam que o governo está agindo forte na área social. O curioso é que mesmo o governo estadual não divulgando ou divulgando pouco, as informações estão chegando às pessoas. Talvez esteja se tornando um “inconsciente coletivo”.

Outro ponto visto como fundamental tem a ver com o fato de que Ronaldo Caiado está dando mostras de que se preocupa com gente, com as pessoas. Na questão da pandemia, articulou o isolamento social e, ao mesmo tempo, criou uma estrutura de saúde eficiente em todo o Estado, a partir de cidades-polos. Rearticulou o social. E, no interior, vai dar apoio para pequenos empreendedores, como uma forma de contribuir para recuperar as economias municipais.

O eleitorado está percebendo que Ronaldo Caiado, se não inaugura, aprofunda uma nova maneira de fazer política — de caráter republicano — e gestão pública… com decência.

Na campanha, aqueles que carregarem nas críticas a Ronaldo Caiado podem perder votos. A tendência, portanto, é que municipalizem a campanha e deixem o governador em paz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.