Político de Goiás deve ser arrolado pela Operação Lava Jato por “negócio” com a OAS

A empreiteira da Bahia manteve relação cordial com um político de Goiás, sabem os investigadores da maior operação contra a corrupção da história do país

Pintura de Igor Morski

Há uma expectativa, em Brasília, de que um político de Goiás será arrolado na lista dos que receberam doações da empreiteira OAS, investigada pela Operação Lava Jato.

O senador Ronaldo Caiado é ligado ao prefeito de Salvador, ACM Neto — vinculado a um dos proprietários da OAS —, mas não há informação segura de que seja o político ligado à empreiteira em Goiás. Ao menos em termos de caixa 2.

O fato é que, pelo sistema atual, ninguém escapa de uma operação ou outra. Os políticos podem até parecer que são os maiores vilões do planeta. Na prática, são vítimas de um sistema que incentiva o caixa 2.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.