PMDB deverá antecipar convenção e, se Friboi não voltar, Iris será candidato a governador

Júnior Friboi, empresário: há um movimento crescente para que seja o candidato do PMDB a governador de Goiás em outubro | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Júnior Friboi, empresário: há um movimento crescente para que seja o candidato do PMDB a governador de Goiás em outubro | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O Jornal Opção ouviu seis peemedebistas em busca de uma definição sobre os rumos do PMDB. De cara, um jovem líder disse: “A pergunta de 1 milhão de dólares é: quem vai ser o candidato do PMDB?” O repórter devolveu-lhe a indagação: “Quem será candidato?”

“No PMDB, no momento, não há espaço para terceira via: o candidato será Iris Rezende ou Júnior Friboi. A única alternativa seria Maguito Vilela, mas, como não desincompatibilizou-se, não tem como disputar. Daniel Vilela não se preparou para a disputa. Sandro Mabel afirma que não quer. Pior que não ter um candidato, é ter um candidato desmotivado ou sem apoio consistente. O ideal é que Friboi e Iris somassem forças, pois um tem estrutura e o outro, votos”, afirma outro líder. Um veterano contrapõe: “Há quem queira trazer Júnior de volta para a disputa. E ele quer”. Friboi teria dito: “Vocês vão ‘mexendo’ aí e, adiante, talvez eu volte”. O Jornal Opção não ouviu a frase diretamente de Friboi, e sim de um aliado, que sintetizou sua fala.

Um irista garante ter ouvido de Iris mais ou menos o seguinte: “Só serei candidato se o partido estiver 100% unido e se eu for convocado”. Mesmo o irista admite que a convocação pode até ser feita, mas nenhum candidato, nem Iris nem Friboi, une 100% do partido. “É provável que, se Friboi realmente não reassumir a candidatura, Iris seja o candidato. Ele jamais deixaria o partido sem candidato.”

Um líder peemedebista, respeitado tanto por friboizistas quanto por iristas, disse aos aliados de Friboi: “Tragam o Júnior de volta ao processo. Ele será candidato”. Aí um friboizista, irista ate pouco tempo, contrapôs: “Se a gente trouxer o Júnior antes da hora, Iris o frita mais uma vez”. Acredita-se que Iris precisa “sofrer”, como pré-candidato sem estrutura e sem bases, para que possa aceitar Friboi de maneira incondicional.

Na segunda-feira, 2, às 14 horas, peemedebistas de proa — os integrantes da Executiva mais Marcelo Melo, Maguito Vilela, Agenor Mariano, Lívio Luciano, José Essado, Adib Elias — se reunirão no Diretório do PMDB para decidir um caminho a seguir. Entretanto, sem a presença de Iris e Friboi, sem definições de ambos, é possível que a reunião não consiga traçar um caminho consequente. O principal objetivo da reunião é antecipar a convenção, possivelmente para logo depois da convenção nacional do partido, que será realizada no dia 10, em Brasília. “Nós vamos ouvir os companheiros. Vai prevalecer a vontade da maioria”, afirma o conciliador Samuel Belchior. Espera-se que a convenção seja realizada até o dia 15, mas há quem acredite que ficará para o dia 20 ou até depois.

Peemedebistas, até mesmo alguns iristas, avaliam que Friboi deveria ser o candidato, porque as bases querem e ele tem estrutura para fazer a campanha. Mas uma coisa é certa: se Friboi não voltar, Iris será o candidato do PMDB.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.