PL pode excluir a deputada federal Magda Mofatto da disputa pela reeleição?

É muito difícil barrar a candidatura de uma deputada federal. Mas “impossível” é uma palavra que não existe em política

Magda Mofatto: deputada federal pelo PL | Foto: Divulgação

A empresária Magda Mofatto é uma deputada federal atuante e os prefeitos que são seus aliados falam de sua eficiência e compromisso.

Em termos nacionais, Magda é posicionada politicamente e apoia o governo do presidente Jair Bolsonaro. Ela é de direita — assumida.

O relacionamento da parlamentar com o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, é considerado “positivo”, “cordial”.

Mas, de repente, surgiu uma pedra no caminho: a pré-candidatura do deputado federal Major Vitor Hugo a governador de Goiás pelo PL.

Magda tentou manter o controle do partido, dada sua amizade com Valdemar Costa Neto. Mas ninguém segura um presidente da República, ainda mais filiado ao PL.

Jair Bolsonaro e Major Vitor Hugo: quem realmente manda no PL em Goiás | Foto: Divulgação

Com o apoio de Bolsonaro, Major Vitor Hugo conseguiu retirar Flávio Canedo da presidência do PL em Goiás e impediu que Magda assumisse o seu lugar. O novo presidente é o deputado, que agora controla o fundo eleitoral do partido.

A guerra contra Magda pode estar apenas no primeiro tempo. Como é uma política forte, é uma aposta do PL nacional para a reeleição. Por isso é difícil, quase impossível, retirar sua candidatura a deputada federal.

Mas uma fonte afirma que, se Magda não declarar apoio a Major Vitor Hugo, afastando-se do pré-candidato a governador pelo Patriota, Gustavo Mendanha, há a possibilidade de, na convenção do PL, entre julho e agosto, ficar fora da chapa para deputado.

A fonte diz que se trata de um “alerta”. “Não estou dizendo que Magda não será candidata pelo PL. O que estou sugerindo é que a deputada precisa ficar atenta aos bastidores reais da política. Bolsonaro aprecia lidar com amigos que são realmente leais. Os que se dizem ‘aliados’, mas não apoiam o seu candidato, tendem a ser ‘expurgados’. Quem imaginaria, dez dias antes, que Magda perderia o controle do PL em Goiás? Quem viver, se quiser, verá”, afirma a fonte. “A informação anterior que dei ao Jornal Opção — que ela perderia o comando do PL — foi confirmada pelos fatos.”

Fica a ressalva, para além do que disse a fonte: é muito difícil, senão impossível, impedir uma parlamentar, com vários mandatos, de ser candidata. A Justiça pode, inclusive, favorecê-la.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.