Pesquisa Serpes sugere que Maguito terá de brigar com Adriana pra disputar 2º turno com Vanderlan

Juntos, todos os candidatos têm 45,3%, o que sugere que a eleição será decidida no segundo turno. A candidata do PT mostra força em Goiânia

Vanderlan Cardoso: líder na pesquisa Serpes/O Popular | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

A notícia mais consolidada da pesquisa Serpes/O Popular, divulgada no sábado, 26, é: a eleição para prefeito de Goiânia deve ser decidida no segundo turno. O líder da primeira rodada de pesquisa do instituto mostra a liderança isolada do candidato do PSD, o senador Vanderlan Cardoso — com 22,3%. Ele está 9% acima da segunda colocada, a deputada estadual Adriana Accorsi, do PT, e 9,3% acima do terceiro colocado, o ex-governador Maguito Vilela, MDB. A rigor, a petista e o emedebista, considerada a margem de erro, estão empatados. Trata-se da pesquisa estimulada. Na espontânea, Vanderlan tem 9,2%, Adriana Accorsi tem 8,2% e Maguito Vilela tem 6%.

Adriana Accorsi : candidata pelo PT| Foto Maykon Cardoso/Alego

Há alguns pontos a ressaltar

1

Juntos, todos os candidatos têm 45,3% — ou seja, 23% acima do número de Vanderlan Cardoso. A pesquisa indica, portanto, que a possibilidade de segundo turno é a informação crucial. Mas firma também a força do senador na capital, onde já disputou eleição para prefeito. Ele aparece em primeiro — e descolado dos demais candidatos.

A tendência é que Vanderlan Cardoso, pela primeira pesquisa e ainda sem campanha, ao menos a oficial, vá para o segundo turno. O que não se pode apontar é qual será o seu adversário. Pelos dados atuais, Maguito Vilela terá de brigar forte para tentar superar Adriana Accorsi e se aproximar do postulante do PSD.

Maguito Vilela: candidato pelo MDB | Foto: Reprodução

2

A pesquisa deixa evidente a força de Adriana Accorsi em Goiânia e talvez do PT, que sempre teve um grande eleitorado na capital (elegeu três prefeitos — Darci Accorsi, Pedro Wilson e Paulo Garcia). Ela aparece na frente — num empate técnico, considerada a margem de erro — de Maguito Vilela.

3

O levantamento estimulado mostra que 21% dos eleitores estão indecisos e que 11,5% vão anular o voto ou não vão votar. A rigor, os números não são altos. Entretanto, no levantamento espontâneo, 53,9% dos leitores disseram não ter definido o voto. O mais provável é que a maioria ainda não saiba quais são os candidatos.

4

Os dados indicam a fragilidade do PSDB na capital, pois Talles Barreto, seu candidato, tem apenas 0,3% das intenções de voto. Dos 14 candidatos, fica à frente apenas de Manu, do Psol. O PSDB governou o Estado de Goiás por 16 anos e um de seus líderes, o falecido Nion Albernaz, foi prefeito da cidade. O partido pode não ter se recuperado da debacle de 2018.

5

O deputado federal Elias Vaz, do PSB, aparece em quarto lugar, com 4,8% — seguido do deputado estadual Alysson Lima, do Solidariedade, com 4,7%. Empatados.

6

Fundamental mesmo é que a pesquisa, assim como outras — acima de todas, as qualitativas —, sinaliza caminhos para os candidatos seguirem ou evitarem. Observe, por exemplo, que Vanderlan Cardoso é o preferido do eleitorado feminino. A pesquisa, quantitativa, não explica o motivo.

O Serpes ouviu 601 eleitores, entre 22 e 24 de setembro. Trata-se da primeira publicada pelo jornal O Popular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.