Uma clima de virada no ar? Tênue, mas há, com a base governista empolgada com seu candidato

Divulgada na sexta-feira, 29, a pesquisa Realtime Bigdata, encomendada pela TV Record, ouviu 1.206 eleitores e foi feita entre 26 e 27 de junho. Sua margem de erro é de 3%.

Aliados do pré-candidato a governador pelo DEM assustaram-se com sua queda — 12% — e temem uma queda maior nas próximas pesquisas. Eles admitem que, se o senador cair para menos de 30%, com uma ascensão vertiginosa do pré-candidato do PSDB, o governador José Eliton, nada será capaz de segurar a queda. Porque sua expectativa de poder vai para o espaço. “Sinto cheiro de 1994 no ar”, afirma Jardel Sebba. (Em 94, Ronaldo Caiado liderava as pesquisas, com índices parecidos, e sequer foi para o segundo turno. Ele foi derrotado por Lúcia Vânia e Maguito Vilela.)

Ronaldo Caiado, na pesquisa estimulada, aparece com 37%, seguido de José Eliton, com 15%, Daniel Vilela (MDB) com 5%, Kátia Maria (PT) com 3% e Weslei Garcia (PSOL) com 1%. O crescimento de José Eliton mexeu tanto com o DEM quanto com o MDB. Nos dois partidos, fala-se que é preciso “segurar” o governador. Há um clima de virada no ar? É o que temem.