Pedro Gonçalves deve ter Delegado Marco Antônio como vice na disputa pela Prefeitura de Goianésia

O MDB de Giovani Machado tende a bancar o candidato a prefeito e o PSDB de Jalles Fontoura e Otavinho Lage deve bancar o vice

Daniel Vilela, Pedro Gonçalves e Maguito Vilela: unidos na disputa de Goianésia | Foto: Reprodução

A lógica sugere o seguinte: se o MDB tem o prefeito de Goianésia, a tendência é que, numa nova aliança, incluindo o PSDB, mantenha a cabeça de chapa. Portanto, a lógica indica que Pedro Gonçalves, do MDB, será o candidato a prefeito e o delegado Marco Antônio Maia, do PSDB, será o vice. O PSD de Carlos Veículos tende a apoiar o novo frentão político.

Numa entrevista, Pedro Gonçalves admite que há conversações do emedebismo com o grupo dos ex-prefeitos Otavinho Lage, Jalles Fontoura e Marco Antônio, do PSDB. Trata-se, sublinhou, de “uma aliança entre forças políticas, não de uma adesão”.

Marco Antônio: nome forte do PSDB em Goianésia | Foto: reprodução

Pedro Gonçalves disse que tem admiração pelo prefeito Renato de Castro e que ajudou a elegê-lo e participou de sua gestão. Mas ressalva que, “do ponto de vista político, houve uma dissociação com o projeto” no qual ele “milita”. “Dada a circunstância, temos de buscar uma alternativa. Goianésia precisa avançar mais. A gestão de Renato é tímida, feijão com arroz, deixará poucos marcos históricos”, frisou.

Jalles Fontoura: “O prefeito Renato de Castro é um homem novo de ideias velhas” | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O ex-prefeito Jalles Fontoura também concedeu entrevista a um site de notícias (Elienay Notícias). “Há uma crise geral no país, 2020 é um ano completamente diferente, com milhares de mortos. Morreram pessoas inclusive em Goianésia. Portanto, é preciso traduzir” o que acontecendo numa nova articulação político-administrativa. “Ouvi Pedro Gonçalves falando numa união de forças para superar a crise.” O tucano frisa que o emedebista “é jovem, tem 37 anos, tem experiência, pois foi secretário de Planejamento da prefeitura e trabalhou na Câmara dos Deputados, no gabinete do ex-deputado federal Daniel Vilela”. La é uma universidade de política, destacou. “O prefeito atual é um homem novo com ideias velhas. Goianésia precisa de um homem novo com ideias novas. Goianésia precisa de transformações, porque é uma cidade grande.”

Renato de Castro: o prefeito teria jogado a toalha | Foto: Jornal Opção

Jalles Fontoura afirmou que tem conversado com Daniel Vilela, presidente estadual o MDB, e com Giovani Machado, presidente do MDB de Goianésia. Giovani é pai de Pedro Gonçalves.

Comenta-se que o prefeito Renato de Castro jogou a toalha e já admite que está fora do páreo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.