PC do B em Goiás aposta em renovação ao lançar a vice-presidente da UNE para deputada estadual

Déborah Evellyn com o professor Romualdo Pessoa, da Universidade Federal de Goiás

Déborah Evellyn com o professor Romualdo Pessoa, da Universidade Federal de Goiás

É possível que esteja nascendo uma nova estrela — uma nova Denise Carvalho — no Partido Comunista do Brasil em Goiás. Trata-se de Déborah Evellyn, de 22 anos. Estudante de Geografia, coordenadora geral do Diretório Central dos Estudantes (DCE) e vice-presidente regional da União Nacional dos Estudantes (UNE), ela é candidata a deputada estadual e tem o apoio dos líderes históricos do partido — como Aldo Arantes, Lúcia Rincon, Denise Carvalho, Fábio Tokarski, Marcos Araújo, Romualdo Pessoa e Luiz Carlos Orro. O verdadeiro PC do B apoia aquela que é vista, no e fora do partido, como um elemento de renovação. E renovação no partido e na política de Goiás.

Articulada, muito informada sobre a política nacional e local, Déborah Evellyn faz uma campanha discreta, por falta de recursos, porém com amplo apoio dos setores mais qualificados do PC do B — tanto em termos éticos como político-ideológicos — e do movimento estudantil de Goiás. Seu nome é praticamente uma “febre” (das mais consistentes e nada provisórias) entre os estudantes.

Déborah Evellyn diz que o Legislativo é fundamental na sociedade democrática e, por isso, “precisa ser mais ativo”. “A Assembleia Legislativa de Goiás precisa ter mais representatividade e autonomia. O Poder Legislativo tem o dever de posicionar-se em defesa da sociedade.” Se for eleita, Déborah Evellyn diz que planeja fazer um “mandato aberto”. Noutras palavras, quer um diálogo permanente com a sociedade, com a juventude, com as mulheres, com os movimentos sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.