Conta-se que há dois “desânimos” em Posse, uma das mais importantes cidades do Nordeste goiano. Primeiro, o proverbial desânimo do prefeito Helder Silva Bonfim. Segundo, o desânimo da população. De acordo com um político, os eleitores sonham, dia e noite, com a “aposentadoria” política do gestor municipal. “Helder não é gente ruim, e nem mesmo está roubando o Erário, mas sua gestão é inoperante e ele tem desculpas, mas não soluções, para tudo”, afirma um líder local.

O ex-deputado estadual Paulo Trabalho planeja “destronar” Helder Bonfim e introduzir métodos mais ousados de administração no município. Um de seus aliados sugere que “é preciso extirpar a gestão ‘caipora’ do prefeito, que, tendo caído de ‘paraquedas’, não tem a mínima noção de gestão pública”.

Ronaldo Caiado, governador de Goiás, com Márcio Passos, de Posse | Foto: Divulgação

Márcio Passos afirma que será candidato. “Melhor dizendo, serei candidatíssimo”, frisa. “Não vou apoiar nem o prefeito nem Paulo Trabalho.”

Um aliado do prefeito sugere que Márcio Passos e Paulo Trabalho estão “conversando”. “De fato, converso com o Paulo, pois somos amigos desde os tempos da UEG. Isto não significa que já estamos caminhando juntos. Com o prefeito, não estou dialogando, não.”

Márcio Passos diz que o cenário “está muito aberto”. (E.F.B.)