Se Ana Paula Rezende — conhecida como “Ana Paula Iris Rezende” —, filha de Iris Rezende, prefeito de Goiânia por quatro vezes e governador de Goiás por duas vezes —, disser que planeja disputar a Prefeitura de Goiânia, na eleição de 2024, daqui a um ano e 11 meses, ninguém do MDB a contestará. Então, será a candidata do partido, com o apoio de todos, com o vice-governador eleito Daniel Vilela no pelotão de frente do exército emedebista.

Porém, Ana Paula Rezende precisa se definir, não pode deixar para a última hora. É o que dizem, nos bastidores, emedebistas históricos e recém-chegados.

Se Ana Paula Rezende optar por não disputar, ficando como uma espécie de coordenadora do processo político eleitoral — ao lado de Daniel Vilela —, o candidato a prefeito de Goiânia pelo MDB tende a ser Paulo Ortegal.

Iris Rezende ao lado da filha Ana Paula Rezende, sua herdeira política | Foto: Instagram

Paulo Ortegal trabalhou com Iris Rezende durante anos — há até quem o chame, brincando, de “Rezendinho” e de “Iris Jr.” — e foi conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). Tecnicamente, é competente e experimentado. Resta saber como se comportará como político-candidato, sendo protagonista, e não mais eminência parda.

O Jornal Opção pediu a dez políticos e a dois ex-conselheiros do TCM (um deles o deputado estadual Tião Caroço) que traçassem o perfil de Paulo Ortegal. Todos disseram que ele precisa passar pelo teste das urnas, considerando que uma coisa é ficar nos bastidores e outra, bem diferente, é se apresentar como protagonista, à frente dos batalhões eleitorais.

A maioria disse que Paulo Ortegal é agregador e diplomata. Outros postulam que teve um mestre político e administrativo — Iris Rezende. Sublinham que, se observou o ícone do MDB com atenção redobrada, será um político-candidato de primeira linha. “Até por ser discreto, Paulinho Ortegal é observador. Ele tem perfil político e é um homem de bem e do bem”, afirma Tião Caroço, ex-conselheiro do TCM. “Sabe tudo sobre administração pública. É um craque”, assinala o parlamentar.

Há rusgas políticas entre líderes do MDB e do pP. Mas há quem postule que os dois partidos poderão caminhar juntos em 2024 — o vereador Sandes Júnior, do pP, poderia ser o vice de Paulo Ortegal — e em 2026, quando Daniel Vilela deverá ser candidato a governador, na sucessão do governador Ronaldo Caiado, do União Brasil.