O peemedebista Paulo Vale reza de manhã, à tarde e à noite — sempre agradecendo ao deputado federal Heuler Cruvinel (PSD) por ter rompido com o prefeito de Rio Verde, Juraci Martins.

O rompimento da união que garantiu a eleição e a reeleição de Juraci Martins para prefeito e de Heuler Cruvinel para deputado federal e a eleição de Lissauer Vieira para deputado estadual contribuiu para o fortalecimento de Paulo do Vale, pré-candidato do PMDB a prefeito do município.

Se o grupo tivesse permanecido unido, não teria para ninguém. Agora, com três candidatos fortes — Heuler Cruvinel, Paulo do Vale e Lissauer Vieira —, com estruturas poderosas, todos se tornam, por assim dizer, “japoneses”. Heuler Cruvinel pode até descolar num primeiro momento, pelo fato de que ainda não existe uma campanha, mas o fato é que os três postulantes chegarão à reta final praticamente em igualdade de condições. Qualquer um deles pode ser eleito. O favoritismo de Heuler Cruvinel tende a ir para o espaço provavelmente por volta de junho ou julho. Aí, quem sabe, vai pintar desespero em suas hostes.