Partidos políticos não conseguem cumprir cotas de 30% de mulheres candidatas

Reprodução

Os partidos políticos estão articulando a montagem das chapas para deputado federal e deputado estadual. Alguns deles chegam a omitir os nomes de alguns postulantes, porque temem o assédio dos partidos mais estruturados. Mas um problema que nenhum dos partidos — nem mesmo o Partido da Mulher Brasileira (PMB) — está conseguindo resolver: o número de mulheres candidatas. Pela lei, ao menos 30% das vagas de postulantes, de todos os partidos, devem ser reservadas para mulheres.

O problema é que a maioria dos partidos não consegue reunir 30% de mulheres para a disputa. Alguns partidos estão oferecendo apoio ampliado, inclusive mais recursos financeiros, para atrair candidatas. Mesmo assim, não estão conseguindo um número suficiente.
As mulheres sondadas pelos partidos costumam dizer duas coisas. Primeiro, que estão sendo convidadas unicamente porque há cotas oficiais, e não por que são valorizadas. Segundo, estão mais céticas do que os homens com a política partidária.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Gleice

Isso em outras palavras e a desvalorização do sexo feminino. Obs as mulheres que estão no poder não representam em nada na verdade estão enfeitando a política .. ou nos desvalorizando como mulher nao tendo postura .despolitização feminina tem que acabar nao somos apenas mais uma…