Partido Verde banca deputado Eduardo Prado para prefeito de Goiânia

“Se Iris Rezende for à reeleição, eu faço questão de ser candidato, para mostrar que a sociedade quer renovação”

Deputado Delegado Eduardo Prado | Foto: Alego

O deputado estadual Eduardo Prado, delegado da Polícia Civil, afirma que o Partido Verde vai lançá-lo para prefeito de Goiânia. “Meu nome já aparece em pesquisas.” O delegado da Polícia Civil, que foca fortemente em mais segurança pública, foi eleito vereador pela capital e, logo depois, deputado para a Assembleia Legislativa de Goiás.

“Se Iris Rezende for candidato, eu faço questão de ser candidato, com o objetivo de mostrar aos goianienses que a sociedade quer renovar a política e a administração pública. Se eleito, vou fazer uma administração que nunca foi feita na capital. Vou investir na saúde e modernizar a prefeitura”, assinala Eduardo Prado.

Quem acha que realmente vai disputar a Prefeitura de Goiânia? “Eu, claro, e mais uns oito ou até 10. A minha lista de possíveis candidatos inclui Iris Rezende, e, se for não ele, Maguito Vilela deve ser o nome do MDB; Wilder Morais, do DEM; Elias Vaz, do PSB; Francisco Júnior, do PSD, junto com o grupo do senador Vanderlan Cardoso; Adriana Accorsi, do PT; Major Araújo, do PSL; Talles Barreto ou Raquel Teixeira, do PSDB.” Há possibilidade de Eduardo Prado ser vice? “Minha primeira opção é ser candidato a prefeito, até para fortalecer o PV e seus candidatos a vereador. Mas não descarto uma composição. Friso que o discurso da segurança fortalece o meu nome.”

O deputado-delegado esteve em Brasília, na semana passada, para o lançamento da Frente Parlamentar de Segurança Pública, presidida pelo capitão Augusto, deputado federal por São Paulo. O vice-presidente é o deputado goiano João Campos. “Estive lá como presidente da Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa de Goiás. O ministro da Justiça, Sergio Fernando Moro, participou do encontro. O combate à violência e ao crime organizado é uma necessidade visceral e o ministro afirma que, com a Lei Anticrime, o combate à criminalidade será mais eficaz.”

A respeito do secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, o deputado frisa que não tem ouvido a Polícia Civil reclamar. “Afirmam que é mais técnico e que não faz política.”

Eduardo Prado sublinha que não sabe se estão querendo puxar o “tapete” do líder do governo na Assembleia, Bruno Peixoto. “É possível que os aliados do governador Ronaldo Caiado, como Álvaro Guimarães e o Doutor Antônio, queiram ocupar mais espaço na Assembleia, como a liderança do governo. Os dois são do DEM, o partido do governador. Mas não sei se há uma campanha contra Bruno Peixoto.”

O Orçamento Impositivo será aprovado? “Conversei com vários deputados e, pelas informações colhidas, será aprovado.”

Há quem diga que o governo de Ronaldo Caiado vai mal e, para justificar a inação, não para de discutir o passado. “Na verdade, o governo começou há três meses e, por isso, precisa de um tempo para engrenar. Vale recordar que o grupo anterior estava no poder havia 20 anos e, repetindo, Caiado governa há apenas três meses. Ele está organizando o governo, buscando soluções para os problemas. Creio que precisa de pelo menos seis meses para deslanchar.”

Quem acha que realmente vai disputar a Prefeitura de Goiânia? “Eu, claro, e mais uns oito ou até 10. A minha lista de possíveis candidatos inclui Iris Rezende, e, se for não ele, Maguito Vilela deve ser o nome do MDB; Wilder Morais, do DEM; Elias Vaz, do PSB; Francisco Júnior, do PSD, junto com o grupo do senador Vanderlan Cardoso; Adriana Accorsi, do PT; Major Araújo, do PSL; Talles Barreto ou Raquel Teixeira, do PSDB.” Há possibilidade de Eduardo Prado ser vice? “Minha primeira opção é ser candidato a prefeito, até para fortalecer o PV e seus candidatos a vereador. Mas não descarto uma composição. Friso que o discurso da segurança fortalece o meu nome.”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.