Entre as ofensivas que se seguirão após a reunião entre o prefeito Rogério Cruz (Republicanos) e o presidente da Câmara de Goiânia, Romário Policarpo (Patriota), para avaliar as relações políticas entre os dois poderes, está o encaminhamento de solução para a execução das emendas impositivas do Legislativo. O prefeito já encaminhou projeto dele ajustando o orçamento do município de forma a garantir o cumprimento do cronograma, mas o Paço entende que será necessário colaboração extra dos secretários.

As medidas para este ano são consideradas apenas paliativas, e a meta de Prefeitura e Câmara é encontrar um mecanismo mais robusto de execução e acompanhamento. O caminho deve passar por projeto de lei do vereador Anderson Sales Bokão (UB), que propõe prestação periódica de contas do andamento das emendas. A ideia, argumentam os vereadores favoráveis à proposta, é criar um meio legal para que Legislativo e Executivo cobrem os resultados dos auxiliares.

“Não é para pressionar o prefeito, é para dar para o prefeito o instrumento para que ele possa cobrar seus secretários”, afirma um vereador.