Orley José e Pedro Sérgio dos Santos são cotados para a Secretaria de Educação da Prefeitura de Goiânia

Os dois intelectuais, educadores respeitados e com doutorado, são as principais apostas dos grupos considerados conservadores

A Prefeitura de Goiânia está, em definitivo, sob o controle do Republicanos, partido dirigido por políticos evangélicos. O prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, pertence à Igreja Universal, da qual é pastor licenciado. O deputado federal, João Campos, é integrante da Igreja Assembleia de Deus e é presidente do partido em Goiás.

Pedro Sérgio dos Santos: doutor em Direito, intelectual notável, advogado e escritor |Foto: Hedmilson Ornelas

Um dos eixos centrais do Republicanos é a Educação. Eles defendem a tese de que é preciso “arrancar” a mentalidade do filósofo italiano Antonio Gramsci, um marxista, das escolas brasileiras. Eles não querem que as crianças sofram o que chamam de “inculcação marxista” sobre variados temas.

Por isso, a tendência, talvez não de imediato — dada a comoção presente na sociedade e, também, na prefeitura, devido à morte de Maguito Vilela —, é a nomeação de um novo secretário da Educação. Há dois nomes cotados — todos eles educadores e apontados como “conservadores”: Orley José da Silva e Pedro Sérgio dos Santos, ambos com doutorado (Pedro Sérgio é doutor em Direito pela prestigiosa Faculdade de Direito da Universidade Federal de Pernambuco e também é escritor e professor da Universidade Federal de Goiás). Ambos mantêm interlocução com o Ministério da Educação do governo de Jair Bolsonaro.

Orley José da Silva: intelectual respeitado pelas lideranças religiosas | Foto: Facebook

Três fontes do meio evangélico disseram ao Jornal Opção que não há motivo para manter Marcelo Ferreira da Costa na Secretaria da Educação. “Primeiro, é ligado ao ex-prefeito Iris Rezende. Segundo, teria sido bancado pela Igreja Católica. É hora de trocá-lo por um técnico com mais afinidade, inclusive ideológica, com o prefeito Rogério Cruz e com aqueles que o apoiam”, afirma um vereador. “Orley José e Pedro Sérgio têm muito mais a ver com o que pensamos”, afirma um líder evangélico.

Um vereador afirma que a CPI da Educação foi barrada pela força de Iris Rezende na Câmara Municipal. “Mas o problema continua sob investigação no Ministério Público. Tem a ver com sobrepreço, contêineres”, assinala um vereador.

“O fato é que os evangélicos praticamente exigem uma mudança mais rápida no comando da Educação”, afirma um líder evangélico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.