O prefeito de uma cidade do interior, depois de ouvir o candidato do PT a deputado federal Olavo Noleto, fez um comentário curioso, quiçá pertinente: “É o Daniel Vilela do PT”.

O prefeito possivelmente quis dizer duas coisas. Primeiro, que Olavo Noleto tem a desenvoltura de Daniel Vilela na arte de fazer política. Quando estão conversando com os líderes do interior, os dois jovens parecem peixes dentro d’´água. Fica-se com a impressão de que nasceram fazendo política. São craques — Neymar e Messi.

Segundo, há uma aposta de que o competente e inteligente Daniel Vilela deve ser um dos mais bem votados para deputado federal, superando até mesmo Iris Araújo (a política mais detestada por todos os peemedebistas; consta que o sonho da maioria é expulsá-la do partido), mas que Olavo Noleto também terá uma votação tão expressiva quanto surpreendente. Olavo Noleto tem um apoio relativamente silencioso, mas de grande proporção.

Brincando, Olavo Noleto diz para os colegas: “O único problema é que, embora eu seja avaliado como ‘charmoso’, não sou apontado como tão bonito quanto Daniel Vilela”. Mas aí, Olavo, é querer demais. Daniel Vilela, ex-jogador de futebol, tem porte de modelo. No interior, quando aparece, é cercado pelo mulherio, mas sempre escapa de fininho. O garoto vai longe, muito longe.