O PSDB vira pó e não elege nenhum prefeito em cidade com mais de 37 mil eleitores

Prefeitos eleitos como Valmir Pedro e Joaquim Guilherme devem pouco ao partido, e sim à própria capacidade de articulação política

Joaquim Guilherme: prefeito eleito de Morrinhos | Foto: Reprodução

O PSDB elegeu 20 prefeitos, mas nenhum deles vai administrar um município com mais de 37 mil eleitores. A maioria vai gerir cidades com pouco mais de 20 mil eleitores. Considerando o histórico do partido, que governou o Estado de Goiás por 20 anos, pode-se sustentar que, na disputa de 2020, virou pó. Pode ressurgir em 2022? Talvez, mas cabe a pergunta: com qual base político-eleitoral? A tendência é que se subordine ao projeto do MDB de Daniel Vilela e Gustavo Mendanha — e isto se o emedebismo quiser.

Valmir Pedro, prefeito reeleito de Uruaçu | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Vale ressalvar, porém, que, embora a maioria das cidades não seja emblemática, alguns dos políticos eleitos têm certa relevância. No geral, são maiores do que o PSDB e foram eleitos praticamente sem o apoio do partido e do ex-governador Marconi Perillo.

Joaquim Guilherme Barbosa de Souza foi eleito em Morrinhos, com 41,36%, derrotando Tiago Mendonça (DEM), com 38,46%. A vitória do empresário Joaquim Guilherme tem pouco a ver com o PSDB. Na verdade, é uma vitória puramente pessoal e, possivelmente, o partido contribuiu para impedir uma vitória maiúscula.

Itamar Leão: prefeito reeleito de Sanclerlândia | Foto: Reprodução

Considerado administrador rigoroso, Hermano de Carvalho foi eleito prefeito de Aruanã por seus próprios méritos, com 53,33% — uma votação não tão expressiva quanto em outros tempos. O ex-prefeito não precisou do PSDB para ser eleito. A vitória é sua.

Em Uruaçu, com a máquina na mão, o prefeito Valmir Pedro foi reeleito graças aos seus próprios méritos. De fato, é um dos políticos tucanos mais ligados a Marconi Perillo. Tanto que se autointitula “o Marconi do Norte goiano”. Sua vitória não foi elástica: 48,38% a 47,32%. Uma diferença de 218 votos. Trata-se de um sinal de que o prefeito, embora popular, está perdendo substância político-eleitoral.

Vando Vitor: prefeito reeleito de Palmeiras de Goiás| Foto: Reprodução

Na pequena Sanclerlândia, o prefeito Itamar Leão foi eleito com 62,33% dos votos. Em Iporá, o prefeito Naçoitan Leite foi reeleito, com 33,59%. Identificado com Marconi Perillo, o gestor município enfrenta problemas judiciais e terá dificuldade para continuar na gestão da cidade. Recentemente, a Justiça decidiu afastá-lo.

Em Palmeiras de Goiás, o prefeito Vando Vitor foi reeleito, com votação expressiva — 60,94% dos votos. Foi bancado por Marconi Perillo.

Em Minaçu, no Norte de Goiás, foi eleito o ex-deputado federal Carlos Alberto Leréia, com 53,75%. Dos eleitos, é o que tem mais identificação com Marconi Perillo. São amigos históricos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.