O médico Breno Leite é uma das apostas do Podemos para deputado federal

Um dos projetos de profissional é levar a ideia de descentralização da saúde para todos os Estados brasileiros

O médico Breno Leite (sobrevivente da Covid-19) assumiu a vice-presidência do Podemos em Goiás, num encontro com a Executiva Nacional do partido e o senador Álvaro Dias, em Brasília. O objetivo do político é reestruturar o partido nos 246 municípios do Estado. “Queremos criar e atualizar comissões provisórias e núcleos partidários em todas as cidades.”

Breno Leite vai disputar mandato de deputado federal. É uma das principais apostas do Podemos — ao lado de Enio Tatico e Yuri Tejota.

O médico vai apresentar à cúpula do Podemos um projeto de descentralização da saúde em todo o país. Em Goiás, no governo de Ronaldo Caiado, a descentralização está dando resultados positivos. “A gestão de Caiado garantiu a diversos municípios procedimentos na área de saúde e média complexidade”, afirma Breno Leite. “As policlínicas de Goianésia, Posse e Quirinópolis são um sucesso. E há o hospital regional de Uruaçu e o hospital municipal de Porangatu. O hospital de Jaraguá está em pleno funcionamento, com centro cirúrgico e UTI.”

Álvaro Dias, senador, e Breno Leite, pré-candidato a deputado federal pelo Podemos | Foto: Divulgação nacional do Podemos

De acordo com Breno Leite, “o projeto do governo Caiado deu certo. Nosso objetivo agora é levar a descentralização para outros Estados, com um debate nacional a partir do Podemos”.

No encontro de Brasília, na terça-feira, Álvaro Dias disse: “É uma alegria receber em nosso gabinete o dr. Breno Leite, um de nossos pré-candidatos a deputado federal em Goiás. O Podemos é um partido que oferece espaço com independência e liberdade de opinião. Tenho certeza de que vai se sentir muito bem aqui, e desejamos que seja bem-sucedido nesta eleição”.

Breno Leite é ligado ao presidente do Detran, Eduardo Machado, e ao presidente metropolitano do Podemos, Felipe Cortês.