As mudanças na composição do plenário da Câmara de Goiânia em decorrência das decisões relacionadas ao cumprimento das femininas nas eleições de 2020 abriram a disputa entre os partidos pelas vagas nas principais comissões temáticas. Os embates prometem se intensificar com a efetivação dos mandatos de Welton Lemos (Podemos) e Igor Franco (Pros) na próxima sessão ordinária, na quarta-feira pós-feriado, dia 16.

As articulações se concentram na vaga de Marlon Teixeira na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR). Marlon e Márcio Carvalho, ambos do Cidadania, dão lugar a Welton e Igor, diplomados na sexta-feira, 11. Na quinta-feira, 10, o presidente em exercício, Clécio Alves (Republicanos), bancou a indicação de Sargento Novandir (Avante) para a cadeira da comissão, a mais importante da Câmara.

Nos bastidores, os vereadores que ambicionam a vaga afirmam que Clécio negociou o assento na CCJ em troca do voto favorável de Novandir ao projeto que muda o nome da Avenida Castelo Branco para Agrovia Iris Rezende Machado (MDB). A indicação, que já estaria com portaria de nomeação pronta assinada pelo presidente em exercício, surpreendeu os vereadores porque dias antes eles haviam tido um grave embate em plenário motivado justamente pela mudança na denominação da via.

A vereadora Sabrina Garcez (Republicanos), que presidiu a CCJ no segundo biênio da legislatura passada (2017-2020), reivindica a vaga. Aliada de primeira hora de Rogério Cruz (Republicanos), ela tem afirmado nos bastidores que a indicação de Novandir quebra a regra da proporcionalidade da composição da comissão – o vereador do Avante seria o terceiro integrante do partido a entrar na CCJ.

A briga pela CCJ é apenas o primeiro capítulo da busca por espaço nas comissões. Um próximo round está marcado para a data de saída de Clécio e do vereador Mauro Rubem (PT), que assumem renunciam aos mandatos em 31 de janeiro para assumir, em 1º de fevereiro, as cadeiras para as quais foram eleitos na Assembleia Legislativa.

Clécio preside a Comissão de Finanças, responsável, entre outros assuntos, pela relatoria das contas do prefeito. Mauro, por sua vez, tem vaga na própria CCJ e preside a Comissão da Saúde. Eles serão substituídos, respectivamente, pelos atuais suplentes Denício Trindade (MDB) e Kátia Maria (PT).