Aristóteles Sakai de Freitas, delegado da Polícia Civil de Goiás, morreu na quarta-feira, 7, aos 63 anos (completaria 64 anos no dia 14 de dezembro). Ele tinha câncer. Recentemente, teve Covid.

Velório será no Cemitério Jardim das Palmeiras, na quinta-feira, 8, a partir de 11 horas. O culto será às 15h30. O sepultamento será às 17 horas.

Considerado um delegado do primeiro time, Aristóteles Sakai, o Totinho, estava aposentado e chegou a disputar mandato de deputado.

Sakai foi pastor da Igreja Batista Renascer e foi assessor da Municipalização da Secretaria Nacional Antidrogas (Senad). Atuou no Projeto Escola Sem Drogas.

Delegados e pastores evangélicos são unânimes: “Aristóteles Sakai era um homem do bem, um humanista da polícia e da religião”.

Aristóteles Sakai era casado com Heloísa, com quem tinha um casal de filhos — Fernanda e João Pedro.