Morre o cirurgião torácico e professor aposentado da UFG João Mendonça Filho

Seu corpo será velado no cemitério Complexo Vale do Cerrado, GO-060, km 7, saída para Trindade, das 12 às 16 horas de segunda-feira, 9

Nilson Jaime

Após longo período de convalescença em sua residência, faleceu na noite de domingo, 8, o médico e ex-professor da Universidade Federal de Goiás João Mendonça Filho, apelidado carinhosamente “João Véio” pelos próximos. Ele tinha 85 anos.

João Mendonça Filho (n. 27/10/1935 – f. 08/11/2020) é natural de Palmeiras — atual Palmeiras de Goiás —, nono dos dezessete filhos do comerciante e farmacêutico pirenopolino, radicado em Alemão (1913), João Mendonça — Nhonhô (n. 27/12/1891 – f. 20/02/1962), também vereador na cidade que adotou.

O doutor João Mendonça Filho é vergôntea, pelo lado paterno, do potentado meia-pontense Manuel Joaquim de Mendonça — Seu Maneco (n. 28/02/1842 – f. 12/12/1913) e de Roza Alzira Jayme Mendonça (n. 26/12/1860 – f. 22/01/1931), filha do genearca da família Jaime, João Gonzaga Jaime de Sá, portanto, trineto do Padre Luiz Gonzaga de Camargo Fleury, editor de A Matutina Meiapontense, primeiro jornal do Centro-Oeste brasileiro.

João Mendonça Filho: médico | Foto: Reprodução

João Mendonça Filho doutorou-se na mesma universidade em que se formou seu pai, na década de 1920, a antiga Universidade do Brasil — atual Universidade Federal do Rio de Janeiro(UFRJ), na Praia Vermelha — onde estudou de 1956 a 1961.

Especializou-se no Conjunto Sanatorial de Curicica, em Jacarepaguá, antiga capital federal. Foi renomado cirurgião torácico, médico em Goiânia e em Goianésia, onde residiu. Retornando à capital goiana, foi professor de Cirurgia Torácica na Universidade Federal de Goiás, UFG, onde lecionou e clinicou em diversos hospitais, até se aposentar, no ano de 2001.

Casou-se com Narma Daher Mendonça (n. 07/01/1942), normalista e professora, nascida em Pouso Alto, atual Piracanjuba (GO), filha de Nagib Daher e Matilde Daher.

João Mendonça Filho deixa esposa, dois filhos três netos.

Seu corpo será velado no cemitério Complexo Vale do Cerrado, GO-060, km 7, saída para Trindade, das 12 às 16 horas de segunda-feira, 9.

As famílias Mendonça, Daher e Jaime agradecem as manifestações de luto e pesar.

A Medicina está de luto. E não só. Goiás deve muito ao grande médico.

Nilson Jaime é doutor em Agronomia. É colaborador do Jornal Opção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.