Ministério Público pede à polícia que investigue prefeito de Goianésia por vandalismo

Renato de Castro, supostamente atendendo comerciantes, começou a arrancar a ciclovia da cidade, o que, para o MP, pode caracterizar dano contra o patrimônio

O prefeito de Goianésia, Renato de Castro (PMDB), é alvo de inquérito policial por vandalismo. O peemedebista começou a remover a ciclovia da cidade, supostamente a pedido de comerciantes, e o Ministério Público decidiu reagir, em defesa do Erário.

O prefeito paralisou a remoção da ciclovia, mas o Ministério Público pediu à polícia que abrisse inquérito para apurar o suposto “ato de vandalismo” e “dano contra o patrimônio público”.

Renato de Castro, em menos de dez dias de administração, ganhou o título de “prefeito dos contenciosos”. Brigou com vereadores, com o vice-prefeito, com ciclistas. Só não brigou ainda com Fião de Castro, seu pai e tido como uma espécie de “primeiro-ministro” e “prefeito informal” de Goianésia.

O vice-prefeito, Carlos “Unabomber” Veículos, acusou Renato de Castro de “compra de votos”. Se a denúncia, que já chegou à Justiça, for comprovada, há possibilidade de o prefeito perder o mandato.

Carlos Veículos teria mais “combustível” contra Renato de Castro. Não é à toa que a cidade começa a chamá-lo de “Unabomber”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.