A recuperação da empresa depende de um comando profissional, voltado para o mercado e sem esquemas políticos

Vice-presidente Michel Temer | Foto: Ascom- VPR
Michel Temer: a tendência é que se torne presidente em maio | Foto: Ascom- VPR

Depois de uma ampla discussão com economistas, juristas especialistas do setor energético, o peemedebista Michel Temer tomou uma decisão: se assumir a Presidência da República, em maio, vai tornar a gestão da Petrobrás absolutamente profissional.

Michel Temer vai dizer aos líderes de sua base de sustentação que a Petrobrás não será fatiada politicamente. Para recuperá-la, pretende colocar apenas profissionais nas áreas básicas.

Políticos goianos que conversaram com Michel Temer ouviram isto de maneira explícita. A tese deve ser estendida aos bancos — como Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, hoje apontados como extremamente “politizados”.