MDB pode bancar Lissauer para vice de Caiado? O preferido do partido é Daniel Vilela

O presidente da Assembleia é o preferido da base governista. Mas a chance de obter o apoio de Mendanha é colocando Daniel na vice de Caiado

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, do Democratas, e o presidente do MDB, Daniel Vilela, fecharam uma aliança para a disputa eleitoral de 2022? Tudo indica que sim. Ronaldo Caiado disputa a reeleição, com Daniel na vice. A vaga para o Senado fica para a disputa do ex-prefeito Iris Rezende (que estaria disposto a refluir), do MDB, do ex-ministro Henrique Meirelles, do PSD, do deputado federal João Campos, do Republicanos, do ex-ministro Alexandre Baldy, do Progressistas, e do senador Luiz Carlos do Carmo, do MDB.

Lissauer Vieira e Daniel Vilela: um deles deve ser o vice de Ronaldo Caiado em 2022 | Foto: Reprodução

A aliança estaria fechada basicamente por três motivos. Primeiro, porque o MDB é o partido com a estrutura mais ampla e sedimentada no Estado — inclusive com prefeitos em cidades importantes, como Jataí (Humberto Machado), Aparecida de Goiânia (Gustavo Mendanha) e Mineiros (Aleomar Rezende), e estruturas fortes em outras cidades, como Goiânia (Iris Rezende), Porangatu (Márcio Luis da Silva) e Anápolis (Márcio Corrêa). Segundo, Daniel é jovem, o que fortalece a imagem de renovação da gestão de Caiado e tem presença e discurso afiado e moderno. Terceiro, na hipótese de Mendanha deixar o MDB para disputar o governo, se Daniel estiver na chapa de Caiado, o prefeito não leva um pedaço grande do partido, talvez não leve nenhum e, assim, ficaria isolado.

Ronaldo Caiado e Daniel se falam com frequência e se respeitam. Estão cada vez mais afinados. Os dois são políticos que têm palavra — é o que todos dizem. Mas parte do governismo sugere que o presidente do MDB tem uma missão: atrair Mendanha para a aliança. O prefeito está recalcitrante, mas não é falso que mantém um bom relacionamento com Daniel, apesar das divergências pontuais (no momento, o prefeito quer ocupar o espaço que, pela regra da “fila”, pertence a Daniel). É provável, segundo um de seus secretários, que Mendanha acabe apoiando Ronaldo Caiado a pedido de Daniel.

Ronaldo Caiado, governador de Goiás, e Daniel Vilela, presidente do MDB: afinados| Foto: Reprodução

Há outras questões em discussão. Comenta-se que o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, Lissauer Vieira, pode se filiar ao MDB, sob convite direto de Daniel. Os dois mantêm interlocução e se respeitam. São da mesma geração, o emedebista tem 37 anos e o deputado tem 40 anos, e são moderados, equilibrados e maduros. Se se filiar ao MDB, Lissauer Vieira poderia se tornar vice na chapa de Ronaldo Caiado? É possível. Mas a reportagem apurou que há resistência, porque seria um cristão-novo que, mal se filiando, já estaria ocupando o lugar na janelinha. Mendanha, se ficar ao lado de Daniel, certamente vetaria.

Daniel Vilela, cotado para vice, também tem sido citado como possível postulante a um mandato de deputado federal. Porque teria feito o compromisso com o presidente nacional do MDB, Baleia Rossi, de que, em 2022, vai trabalhar com afinco para enviar ao menos dois deputados federais para a Câmara dos Deputados. Um seria ele próprio — se for a vice, o nome será o do ex-deputado Leandro Vilela, seu parente — e o outro Márcio Corrêa, dentista, empresário e presidente do MDB em Anápolis.

A vice de Ronaldo Caiado é importante porque se acredita que será reeleito e, como tal, tende a deixar o governo, em 2026, para disputar mandato de senador (serão duas vagas). O vice assumiria, então, o governo, em abril de 2026, e, no dia seguinte, se tornaria candidato natural à reeleição. Sendo assim, Daniel Vilela — ou Lissauer Vieira — teria chance de se eleger governador. Em 2026, o deputado poderia ser o seu vice.

 Lissauer Vieira, presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, ao lado do governador Ronaldo Caiado | Foto: Felipe Cardoso

Lissauer Vieira é um diplomata e parte, grande parte, da governabilidade da gestão de Ronaldo Caiado se deve à sua ação eficiente na Assembleia Legislativa. Republicano, pacificou o Legislativo, inclusive as oposições — dadas sua franqueza e capacidade de cumprir o que foi acertado. No momento, ele opera para disputar mandato de deputado federal e é apontado como um dos favoritos para ocupar uma vaga no Congresso. Ao mesmo tempo, articula para ocupar a vice do governador. No sábado, 7, ele vai reunir mais de 50 prefeitos de sua base política em Rio Verde, com a presença de Ronaldo Caiado. Mostra, com isso, que tem prestígio político. Cerca de 15 deputados — e até mais — o apoiam se optar pela disputa da vice. Deputados do MDB também não têm resistência ao seu nome. Até o “rebelde” Paulo Cezar Martins — homem de Sandro Mendez (conhecido como Sandro Mabel) na Assembleia — aprecia Lissauer Vieira.

Então, Lissauer Vieira articula para ser candidato a deputado federal. Mas, se a vice surgir no seu horizonte — ele é tido como “confiável” pela base governista —, não a descartará, até porque se dá muito bem com o governador Ronaldo Caiado e, também, com Daniel. É difícil encontrar alguém que se dê mal com o líder de Rio Verde, cidade do Sudoeste de Goiás que tem o quarto maior eleitorado de Goiás.

Sobre Lissauer Vieira, um repórter do Jornal Opção ouviu de um secretário de Ronaldo Caiado: “Ele é ótimo. Todos nós gostamos dele. Mas já está na nossa base. Já Daniel Vilela ainda está sendo conquistado”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.