MDB deve bancar Mendanha pra enfrentar Caiado. Base governista já pensa no pós-Caiado

Há nomes na base governista que podem disputar o governo em 2026: Roberto Naves, Lissauer Vieira, Adib Elias, Alexandre Baldy e Vanderlan Cardoso

Ronaldo Caiado: desde já, o favorito para 2022 | Foto: Divulgação

O governador Ronaldo Caiado é considerado o nome mais consistente para a disputa eleitoral de 2022 — daqui a um ano e 10 meses. Não surgiu, até o momento, nenhum outro político com um nome estruturado capaz de rivalizar-se com o líder do partido Democratas.

Se não surgiu “o anti-Caiado” — um “anti” consistente eleitoralmente —, nomes consolidados para o pleito de 2022, começa a se desenhar dois quadros. Primeiro, claro, tem a ver  exatamente com 2022. Segundo, já tem a ver com 2026.

Gustavo Mendanha, prefeito de Aparecida, e Daniel Vilela, presidente do MDB: um deles vai disputar o governo do Estado de Goiás em 2022 | Foto: Reprodução

Para o quadro de 2022, a única coisa definida é que Ronaldo Caiado será candidato à reeleição. Ele próximo já disse isto. Quem vai enfrentá-lo? No MDB, o candidato tende a ser definido a

Gustavo Mendanha

partir do resultado da eleição de Goiânia. Se Maguito Vilela for eleito prefeito, seu filho político, Daniel Vilela, possivelmente não será candidato a governador na próxima eleição. Porque ensejaria a tese da panelinha — a mesma que contribuiu para a derrota de Iris Rezende em 1998. O candidato tende a ser o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha. O presidente do MDB iria a deputado federal ou a senador. Entretanto, se Vanderlan Cardoso for eleito, há a possibilidade de Daniel Vilela ser candidato a governador

Lissauer Vieira: em ascensão | Foto: Divulgação

Daniel Vilela trabalha para ter como vice o empresário e ex-prefeito Otavinho Lage. O próprio presidente do MDB afirmou que pode apoiar o líder do PSDB em Goianésia para governador. Porém a tendência é que o candidato a governador seja mesmo do MDB, com um vice do PSDB (talvez Jânio Darrot, por quem Daniel Vilela também tem apreço). A chapa seria encorpada pelo PSD de Vilmar Rocha — que é ligado aos irmãos Jalles Fontoura e Otavinho Lage. O PSL do deputado federal Delegado Waldir Soares também tende a compor neste grupo.

Roberto Naves: político consolidado | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Na base governista, todos vão se reunir em torno do governador Ronaldo Caiado. A disputa será dura para vice (estão no páreo Lincoln Tejota, atual vice, Adib Elias e Lissauer Vieira) e talvez menos dura para o Senado (o nome mais cotado é o de Alexandre Baldy).

Alexandre Baldy, presidente do Progressistas | Foto: Fábio Costa / Jornal Opção

Mas claro que, pensando no pós-Caiado, a partir de 2022 os integrantes da base governista vão começar a se preparar para criar musculatura tendo em vista a disputa de 2026. Desde já, independentemente dos resultados das urnas em 2020, estão se colocando, com relativa desenvoltura, políticos de qualidade, como Vanderlan Cardoso (PSD), Alexandre Baldy (Progressistas), Roberto Naves (Progressistas), Lincoln Tejota (Cidadania), Lissauer Vieira (PSB), Adib Elias (Podemos), Paulo do Vale (Democratas) e Diego Sorgatto (Democratas). O futuro da base governista está, provavelmente, nos oito nomes citados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.