Marqueteiros e pesquisadores sugerem que PMDB e PT vão brigar e, depois, vão compor para o governo de Goiás

Vanderlan Cardoso: desidratado, pode compor com o PMDB?

Vanderlan Cardoso: desidratado, pode compor com o PMDB?

O Jornal Opção solicitou a marqueteiros, pesquisadores e cientistas políticos que, examinando o quadro político, definissem, dentro das possibilidades, quais são os reais candidatos a governador de Goiás em 5 de outubro deste ano. A maioria disse que um nome está absolutamente definido: o do governador Marconi Perillo (PSDB). Só um milagre pode tirá-lo do páreo, afirmam. Os entrevistados dizem que é fato que o tucano-chefe teme a consolidação de um nome novo, que se torne símbolo da mudança, como ocorreu com ele em 1998, há dezesseis anos. Aposta-se também que Vanderlan Cardoso, apontado como “obstinado” e “teimoso como uma mula”, será candidato. Com uma ressalva: se desidratado intensamente, caindo para último lugar nas pesquisas, é possível que se sinta compelido a compor com um candidato do PMDB (o chefão do PSB, Eduardo Campos, não aceita composição com o PT).

Sobre o PMDB e o PT quase todos os ouvidos sugerem que vão brigar e, depois, vão compor. Um não vive mais sem o outro, apostam.

O PMDB de Goiás vai lutar para ter o PT na chapa majoritária. E vai usar a cúpula nacional para pressões locais.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.