Marina Silva deve ser principal eleitora de Rodrigo Rollemberg em Brasília

bastEm Brasília até as obras arquitetônicas criadas por Oscar Niemeyer “sabem” que José Roberto Arruda (PR) não será candidato a governador — se for e ganhar, diria Carlos Lacerda, não assumirá. Arruda insiste, afirma que será candidato, mas está apenas ganhando tempo para preparar outro nome, como o de sua mulher, Flávia Carolina Peres, ou o do senador Gim Argello (que está tentando arranjar um pretexto para não disputar com José Antônio Reguffe). O “postulante” do PR avalia que, se permanecer candidato até 15 de setembro, poderá cacifar outro candidato, ou seja, aposta que poderá transferir voto.

Arruda avalia mal o eleitorado do DF. Este o apoia, porque o considera gestor competente, ao contrário do governador Agnelo Queiroz (PT). Mas sua mulher não tem experiência administrativa e Argello (PTB), em definitivo, não é o político que o brasiliense quer ver no governo. Dado o efeito Marina Silva, o próximo governador do DF tende a ser o senador Rodrigo Rollemberg, do PSB.

A imagem ética de Rodrigo Rollemberg e de José Antônio Reguffe, candidato a senador pelo PSB, e o apoio ostensivo de Marina Silva devem ser decisivos em Brasília. A imagem do senador está tão colada à de Marina Silva que os aliados, em tom de brincadeira mas falando sério, o chamam de Rodrigo Rollemberg “Silva”. Também em tom jocoso, chamam José Antônio de “Marino” Reguffe. Este e Marina são extremamente identificado. Ele é a Marina de calça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.