Marconi Perillo tem falado do legado e ouve seus interlocutores com atenção

Marconi Perillo em Adelêndia | Foto: Wagnas Cabral

O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), tem chamado a atenção dos auxiliares mais próximos pelos pronunciamentos contundentes e sólidos que vem fazendo.

O tucano-chefe tem um domínio total dos dados sobre o governo e a economia de Goiás. Ele fala com a maturidade e a autoridade de quem já foi eleito deputado estadual, deputado federal, quatro vezes governador e uma vez senador. Tem visão regional e visão nacional dos problemas. Ele tem falado de seu legado, como o presidente Juscelino Kubitschek apreciava fazer. “O Tempo Novo surgiu para transformar o Estado e criar o novo Goiás que temos hoje”, afirmou na sexta-feira, 19. Seu projeto vai além da política pura e simples, da manutenção do poder. A ideia é ampliar a modernização do Estado e melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Um detalhe que tem chamado a atenção, sobretudo no interior: Marconi Perillo tem visitado a casa de pessoas com as quais conviveu (e convive) há mais de 20 anos. Ele lembra o nome das pessoas com facilidade (e sem populismo). O governador não perdeu o gosto de conversar com elas e gosta de ouvi-las com atenção, cuidado e prazer. O poder não lhe tirou nem a humildade nem a capacidade de ouvir. A historiadora Barbara Tuchman escreveu um ensaio no qual sublinha que, a partir de determinado tempo no poder, os políticos deixam de ouvir e perdem a atenção para os detalhes (já disseram que Deus está nos detalhes). Não é o que ocorre com o tucano goiano. Ele permanece atento, vivo, presente.

Há quem, no poder, perde a dimensão de perceber o indivíduo — ao mirar nas chamadas grandes questões. Marconi Perillo não perdeu a capacidade de perceber as dores individuais e talvez isto seja um dos motivos de sua longevidade política.

Deixe um comentário