Major Araújo, numa crise de quixotismo, vai a Brasília protocolar pedido de impeachment de Temer

O deputado do PRP, num ação de alpinismo político, parece avaliar que seu pedido é mais sólido do que o feito pela OAB

Iris Rezende e Major Araújo: nos tempos em que eram carne, unha e cutícula | Foto: Divulgação

O deputado estadual Major Araújo é um político sério e crítico acerbo dos malfeitos, mas às vezes mistura um cadinho de Dom Quixote, personagem do escritor espanhol Cervantes, e um cadinho de Policarpo Quaresma, criação do prosador brasileiro Lima Barreto. Arrojado, o integrante do PRP foi a Brasília com o objetivo de protocolar o impeachment do presidente da República, Michel Temer, do PMDB (partido aliado do PRP em Goiás).

Vai adiantar alguma coisa? Nada. Pode até ser que Michel Temer sofra impeachment, mas não será devido ao pedido do parlamentar de Goiás. O pedido que tem mais peso é o da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O de Major Araújo cairá no esquecimento dois segundos depois de protocolado (se for). Por isso pode-se denominar a ação do deputado de quixotismo, para não dizer fanfarronice.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.