Mais de 30 prefeitos planejam trocar seus partidos pelo Democratas

O governismo não está se esforçando para conseguir mais filiações por causa das questiúnculas locais

Carlos Alberto de Andrade, prefeito de Goianira | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, do partido Democratas, está se revelando um hábil articulador político. Na eleição passada, depois de elaborar um mapa da política em todo o Estado, ele e seus principais aliados (que inclui auxiliares, parlamentares e prefeitos) — o que se pode chamar de “intelligentsia” — procuraram interferir no processo por região. A equipe conversou com candidatos e lideranças locais — de maneira exaustiva. O resultado é uma base político-eleitoral gigante.

Mas, político que não se acomoda, Ronaldo Caiado, com auxiliares que entendem de política como poucos — como Ernesto Roller, Marcos Cabral e Lívio Luciano, para citar apenas três —, continua reformatando sua base política. No momento, atua em dois fronts: a conquista do apoio do PSD e do MDB para o projeto de sua reeleição em 2022.

Carlinhos do Mangão: prefeito de Novo Gama se filiou ao Democratas | Foto: Reprodução

Ao mesmo tempo, a equipe de articuladores conversa com prefeitos e vereadores em todo o Estado. O que se percebeu, desde o início, é que vários prefeitos — mais de 30 — querem se filiar ao partido Democratas. Não há, a rigor, uma operação do governo para atrai-los — até porque há problemas locais insanáveis (o governo tem bases em determinadas cidades nas quais os prefeitos querem aderir, e às vezes são adversários renhidos). Por outro lado, os prefeitos estão operando para aderir ao governo — ao partido Democratas ou a algum partido da base governista. Recentemente, o prefeito mais marconista de Goiás, Hermano de Carvalho, de Aruanã, filiou-se ao Democratas — deixando o PSDB. Outro marconista em tempo integral, o prefeito de Iporá, Naçoitan Leite (chegou a carregar Marconi Perillo nos ombros) decidiu apoiar o governo e fez elogios rasgados a Ronaldo Caiado. Ele não se filiou ao Democratas, mas é possível que troque o PSDB pelo partido Republicanos, pois tem ligação com o deputado estadual Jefferson Rodrigues. Mas gostaria mesmo é de se filiar ao Democratas, porque, frise-se, embora marconista, sempre manteve relacionamento cordial (apesar das diatribes eventuais) com o governador.

Fred Vidigal, prefeito de Rialma, trocou o PTB pelo Democratas | Foto: Reprodução

De alguma maneira, o governo está tentando conter o mutirão de adesões, porque, algumas, não têm muito significado e resultam, por vezes, de oportunismo político. Vários deputados querem filiar “seus” prefeitos no Democratas. Mas será feita uma seleção, um pente-fino. Porque há prefeitos com história pessoal e política muito ruim.

O prefeito de Joviânia, Renis Eustáquio Gonçalves, conhecido como Renim, trocou, recentemente, o MDB pelo Democratas. No caso, é apontado — assim como Hermano de Carvalho — como um político qualificado. Produtor rural, riquíssimo, Renim disse ao presidente do MDB, Daniel Vilela, que estava se filiando ao partido, mas era aliado de Ronaldo Caiado. O ex-deputado federal não opôs qualquer obstáculo. Ao sair do emedebismo, procurou Daniel Vilela e o avisou. Chegou a dizer para o jovem emedebista, segundo uma fonte palaciana: “Você deveria ser vice de Ronaldo Caiado em 2022. Vou trabalhar para isto e sei que toda a nação emedebista quer o mesmo”. A fonte acrescenta, a partir de suposta fala do prefeito, que Daniel Vilela teria respondido: “Renim, vou disputar a eleição que eu possa ganhar. Não quero ficar sem mandato. Posso disputar para deputado estadual, federal, governador, senador ou vice”.

Renim Eustáquio: prefeito de Joviânia trocou o MDB pelo Democratas | Foto: Facebook

Carlinhos do Mangão (Carlos Alves dos Santos), prefeito de Novo Gama, é uma das grandes conquistas do Democratas. Na eleição de 2020, Ronaldo Caiado o apoiou na disputa contra a ex-prefeita Sônia Chaves, do PSDB. Agora, grato ao governador, trocou o PL pelo Democratas. É apontado como uma revelação política do Entorno de Brasília. Já o prefeito de Valparaíso de Goiás, Pábio Mossoró (Pábio Correia Lopes), pode trocar o MDB pelo Democratas, mas depende do deputado federal Célio Silveira, seu representante na Câmara dos Deputados. Se o parlamentar do PSDB aderir ao DEM, como se especula, a tendência é que o prefeito o acompanhe. Mas Célio Silveira também articula com Daniel Vilela, do MDB.

Há um outro prefeito supermarconista que sinalizou que quer aderir, mas estaria com receio da pancadaria das tropas tucanas. De qualquer maneira, em 2022, tende a apoiar a reeleição de Ronaldo Caiado.

O prefeito de Rialma, Fred Vidigal (Frederico Gonçalves Vidigal), um político de 45 anos, já estava na base do governo, filiado ao PTB de Lineu Olímpio. Mas disse a aliados que tem mais identidade com o Democratas e com o governador Ronaldo Caiado. Por isso se filiou ao DEM.

O prefeito de Goianira, Carlão da Fox (Carlos Alberto Andrade Oliveira), é ligado ao deputado federal José Nelto (são sócios num avião), do Podemos, e ao empresário Wilder Morais, do PSC (a caminho, possivelmente, do Patriota). Sua ligação no PSDB era com o economista e ex-deputado Giuseppe Vecci — que, quando ouve falar em política, saca logo suas luvas de MMA. Por isso, sem referência (o ex-prefeito de Trindade Jânio Darrot também está deixando o tucanato), trocou o PSDB pelo Democratas.

O prefeito de Cromínia, Gilvander Alves Pereira, o Gil, trocou o PSDB pelo Democratas.

O prefeito de Guarinos, Zé Antônio (José Antônio da Silva), deixou o PL da deputada federal Magda Mofatto e se filiou ao Democratas do governador Ronaldo Caiado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.