O discurso mais ouvido no comitê político da oposição é que Lúcio Flávio “não precisa pregar para convertidos”. Os velhos companheiros reclamam que foram largados na campanha de Lúcio e que não existe a mínima discussão de projetos. Prova é a chapa praticamente composta de ex-OAB Forte: Thales José Jayme, Valentina Jungman, Simone Oliveira, Roberto Serra, Manoela Gonçalves. Onde está a renovação, senão de adesistas de última hora? O grupo original está tão insatisfeito que muitos preferiram se afastar e não vão participar da campanha. É o caso do histórico Edilberto Dias, controlador-geral da Prefeitura de Goiânia. Do grupo original só restam seis. Os “neófitos” como tem sido apelidados dentro da campanha de Lúcio Flávio tomaram conta de tudo e já criaram até a máxima: “Aqui a igreja é a mesma, mas o pastor mudou”, numa referência à empáfia e arrogância com que são tratados por Lúcio Flávio e seu grupo.