Lissauer Vieira tem maioria para se reeleger presidente da Assembleia; governismo tem nomes fortes

Bruno Peixoto, Humberto Aidar e Álvaro Guimarães são alternativas que podem ser bancadas pelo governismo se “acordão” não vingar

Lissauer Vieira, presidente da Assembleia Legislativa | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

A Assembleia Legislativa de Goiás tem 41 deputados estaduais. Entretanto, quando se tem eleição, as contas não batem. O grupo do presidente da AL, Lissauer Vieira (PSB), garante que tem 25 votos — o que lhe garantiria a reeleição, com relativa folga. Entretanto, o grupo que apoia o governador Ronaldo Caiado afirma que também tem 25 votos. Ou seja, a Assembleia “teria” 50 parlamentares.

Álvaro Guimarães: se não disputar a Prefeitura de Itumbiara, pode ser candidato a presidente da Assembleia | Foto: Divulgação

Na verdade, os dois grupos não estão mentindo ou blefando. É que, no momento da articulação, há votos cambiantes. Ora um parlamentar banca Lissauer, no momento seguinte articula com o governismo. Não há nenhuma rigidez.

Ao final do processo, Lissauer pode sair como candidato “de todos” — inclusive do governo. Mas há quem, no governo, postule que é preciso eleger um presidente que contribua para aprovar os projetos do governo o mais rápido possível, sem excesso de negociação.

Bruno Peixoto: líder do governo quer ser “promovido”| Foto: Fábio Costa/Jornal Opção

Por isso, o governismo tanto pode apoiar Lissauer Vieira, sobretudo se perceber que é imbatível, quando lançar um candidato, e não só para disputar e marcar posição, e sim para ganhar. Há nomes? Há pelo menos três.

O governo pode apostar suas fichas em Humberto Aidar, que estaria agradando o governo na CPI dos Incentivos Fiscais — dada sua firmeza. O emedebista articula bem e não tem arestas na Assembleia. Ele agrega.

Humberto Aidar: governismo aprecia sua capacidade de agir | Foto: Fábio Costa/Jornal Opção

Bruno Peixoto (MDB), que começou titubeando como líder do governo, firmou-se e hoje é respeitado no Palácio das Esmeraldas. Revelou-se agregador na AL, sendo respeitado até pelas oposições. É um político que agrega, porque tem bom trânsito em todas as correntes políticas. Ele estaria comprometido com a reeleição de Lissauer Vieira, mas, se Ronaldo Caiado acenar positivamente, poderá ser candidato.

O deputado Álvaro Guimarães (DEM), se não for disputar a Prefeitura de Itumbiara, em 2020, pode postular o comando da Assembleia. Tem perfil agregador e não tem resistência da maioria dos parlamentares. Entretanto, é visto como excessivamente governista. No momento, a Assembleia Legislativa comporta-se de maneira mais independente.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.