Não há a menor dúvida de que o presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira (PSD), é um operador político de primeira linha. Ele se elegeu (inclusive com o apoio de Marconi Perillo, atuando nos bastidores) e se reelegeu com facilidade.

Agora, mostrando perícia política, Lissauer Vieira está articulando a candidatura de Virmondes Cruvinel (União Brasil) para presidente da Alego.

O presidente do Legislativo está convocando deputados, reeleitos e eleitos, para conversas reservadas. Comenta-se, até, que alguns já estão conseguindo nomear aliados.

O objetivo de Lissauer Vieira, espertíssimo, é formatar uma base para Virmondes Cruvinel com 22 deputados estaduais (a maioria absoluta). Com o número na mão, o presidente da Alego irá ao governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), e dirá mais ou menos o seguinte: “Governador, os deputados exigem Virmondes Cruvinel na presidência da Assembleia”.

Cinco deputados, veteranos e novos, garantem que Lissauer Vieira está articulando dia e noite. “A tática pode até ser chamada de ‘camicase’, mas está em desenvolvimento. Lissauer está se revelando um articulador do primeiro time. Ele quer pegar todo mundo desprevenido e transformar Virmondes num fato consumado”, afirma um deputado. Acredita que poderá repetir a jogada de 2018-2019.

Outro parlamentar acrescenta: “Mais do que camicase, a tática tem a ver com a história da ‘facada nas costas’. Porque Lissauer está agindo para retirar Ronaldo Caiado do jogo político, buscando isolá-lo”.