Lincoln Tejota não rompe com Ronaldo Caiado mas se considera um maior abandonado

O vice-governador não vai para a oposição mas articula com grupos políticos que buscam alternativas para 2020 e 2022

O vice-governador Lincoln Tejota (Pros, a caminho de outro partido) não quer romper com o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), até porque os dois acabaram de assumir. Mas tem confidenciado a aliados que, embora seja o vice, não governa, e não teria conseguido indicar nem mesmo a maioria dos integrantes da Vice-Governadoria.

Ronaldo Caiado e Lincoln Tejota: não se governa com aqueles com os quais se ganhou a eleição | Foto: Jornal Opção

Lincoln Tejota é um político articulado — filho do conselheiro Sebastião Tejota, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), e marido da vereadora Priscila Tejota — e não vai ficar parado (porque, na política, quem fica parado não é poste — é nada). Ele tem articulado com vários grupos políticos e, se não for atendido de maneira respeitosa por Ronaldo Caiado, tende a se tornar uma alternativa política tanto para 2020 quanto para 2022. Se o governador o rejeita, mantendo-o afastado do núcleo do poder — fala-se que se governa não com aqueles com os quais se ganhou eleições, e sim com técnicos que entendam de gestão —, há grupos políticos que o consideram um grande valor a ser conquistado.

O que quer Lincoln Tejota? “Quer espaço correspondente no governo, que não pode ser apenas de Ronaldo Caiado e de seus aliados mais próximos. Lincoln não é fisiológico, mas é político e tem seus compromissos com aliados”, afirma um ex-deputado.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.