Líder diz que MDB tem a chapa de pré-candidatos a vereador mais competitiva de Rio Verde

Manuel Cearense afirma que, além de uma chapa consistente para vereador, o MDB deve bancar o vice de Juraci Martins

Lúcia Batista: vereadora

O MDB de Rio Verde parecia “rejuvenescido” ao eleger o prefeito Paulo do Vale, em 2016. Entretanto, no poder, o político transformou o partido em “suco”, tornando-se maior do que ele, criando uma espécie de MDB do PV — MDB do Paulo do Vale. Quem não concordasse tinha de ficar calado ou então sair. Em 2018, quando a cúpula estadual esperava o apoio do prefeito para o candidato a governador do partido, Daniel Vilela, ele deu-lhe as costas.

Juraci Martins e o vereador Leonardo Fonseca | Foto: Reprodução

Parte do MDB local teve de rebelar-se para ficar com Daniel Vilela. Depois, ao perceber que o partido não tinha um aliado local, a direção do MDB expulsou Paulo do Vale. Mas o estrago estava feito: o partido praticamente havia “desaparecido”.

Marussa Boldrin: vereadora | Foto: Divulgação

Na verdade, líderes do partido, como Edwal Portilho e Manuel Cearense, decidiram reconstrui-lo, e inclusive sem o apoio dos vereadores eleitos em 2016 — que ficaram ao lado do poder, quer dizer, de quem tem o controle da chave do cofre da prefeitura.

Edwal Portilho, Tchequinho: presidente do MDB  de Rio Verde| Foto: Divulgação

Edwal Portilho, presidente, Manuel Cearense, vice-presidente, concluíram que lamentar o fato de Paulo do Vale ter desidratado o MDB não levaria à sua reconstrução. Por isso, longe de ficar chorando, buscaram o apoio de Daniel Vilela e decidiram trabalhar, convocando reuniões, dialogando com os remanescentes do partido. De cara, abriram conversações com o médico e ex-prefeito Juraci Martins. Disseram-lhe que tinham ao menos dois pré-candidatos a prefeito, mas que, se Juraci Martins assumisse uma candidatura, poderiam apoiá-lo — em nome de uma frente ampla cujo objetivo é derrotar Paulo do Vale, que conta com uma estrutura forte, a partir da prefeitura.

Manuel Cearense, vice-presidente do MDB de Rio Verde | Foto: Divulgação

Ao mesmo tempo em que dialogavam com Juraci Martins, os líderes emedebistas trabalhavam para reconstruir o partido, reanimando os militantes e atraindo novos membros. Quatro vereadores, considerados qualitativos pela direção, se filiaram ao MDB: Cabo Moraes, Leonardo Fonseca, Lúcia Batista e Marussa Boldrin.

Cabo Moraes: vereador | Foto: Divulgação

Manuel Cearense frisa que, além dos quatro parlamantares, o MDB montou uma chapa consistente para vereador. “A nossa chapa é forte e vamos eleger, além de Juraci Martins para prefeito, uma bancada consistente de vereadores. O partido está fortalecido — o que prova os quatro vereadores de qualidade, críticos e posicionados, que são destaque na Câmara Municipal. Conquistamos também a filiação de pessoas tradicionais na cidade para disputar mandato de vereador. Portanto, a nossa chapa é a mais competitiva. O MDB é como Fênix: ressurgiu das cinzas. Hoje, é fortíssimo. Nós devemos, inclusive, lançar o vice de Juraci Martins.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.