Leila Barros vai disputar o governo do Distrito Federal e diz que não recua

A senadora do PDT vai lançar sua pré-candidatura na segunda-feira. Izalci Lucas também está pondo seu bloco na rua

Leila Barros, senadora pelo PDT | Foto: Agência Senado

O senador Jorge Kajuru, do Podemos, disse ao Jornal Opção na sexta-feira, 15, que a senadora Leila Barros (PDT) é uma “força da natureza”. “Poucas vezes conheci uma pessoa tão obstinada, correta e focada naquilo que propõe e defende. Ninguém muda a sua opinião. Portanto, se ela disse que será candidata a governadora, sai de baixo: porque vai mesmo.”

Leila Barros, que Brasília conhece como Leila do Vôlei, vai lançar sua pré-candidatura a governadora do Distrito Federal na segunda-feira, 18.

Jorge Kajuru, senador pelo Podemos | Foto: Agência Senado

Diz-se, em Brasília, que Leila Barros, Izalci Lucas (PSDB) e José Antônio Reguffe firmaram um compromisso. Por volta de julho, quando se iniciam as definições dos candidatos, dada a proximidade das convenções eleitorais, aquele, dos três, que estiver melhor será o candidato a governador. Porém, se os três, ou ao menos dois, chegarem praticamente empatados, o pacto tende a ser desfeito.

Izalci Lucas, senador pelo PSDB| Foto: Senado

O senador Reguffe, filiado ao União Brasil, estava entusiasmado com a possibilidade de disputar mandato de governador. Porém, ante a falta de estrutura e a estrutura gigante do governador Ibaneis Rocha (MDB), pode retomar o projeto anterior e disputar mandato de senador. Com Reguffe no páreo para senador, fica complicada a situação da deputada federal Flávia Arruda (PL), que pode refluir e disputar a reeleição ou a vice de Ibaneis Rocha (MDB). Por enquanto, a parlamentar sustenta que será candidata a senadora.

José Antônio Reguffe: senador pelo União Brasil| Foto: Agência Senado

O PT de Brasília está de olho mais na eleição de Lula da Silva para presidente da República do que no pleito local. Porém, o partido já tem um pré-candidato a governador. Trata-se do ex-deputado federal Geraldo Magela. No caso de uma composição política, para fortalecer o projeto nacional do partido, o ex-parlamentar pode retirar seu nome do jogo. O petista-chefe está trabalhando para construir palanques fortes nos Estados e no Distrito Federal. Até agora, na capital nacional, o palanque forte, com aliados de vários partidos, ainda não começou a ser montado. Mas é quase certo que o grupo do ex-governador Rodrigo Rollemberg, do PSB, tende a contribuir para a montagem deste palanque.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.