Kajuru e Waldir Soares podem ser os grandes adversários na disputa pela Prefeitura de Goiânia

O grande trunfo do deputado é sua popularidade e a aliança com Bolsonaro. O senador eleito é um outsider de imensa força eleitoral

Fotos: arquivos

O senador eleito Jorge Kajuru (PRP), político de posições firmes, disse ao Jornal Opção, recentemente, que não pretende disputar a Prefeitura de Goiânia em 2020. Ele acredita que, em Brasília, terá condições de fazer “muitas coisas” tanto para Goiânia quanto para os demais 245 municípios de Goiás.

No momento, Kajuru participa de uma frente que pode bancar a vereadora Cristina Lopes para prefeita. Decente, atuante na Câmara, Dra. Cristina é mesmo um grande nome. Mas e se não empolgar o eleitorado? Há outro pré-candidato, Francisco Júnior, do PSD, que pode canibalizá-la eleitoralmente (os dois tem perfis parecidos, mas ele é mais conhecido e tem mais experiência). O que fazer?

Resta bancar Kajuru, que lidera as primeiras pesquisas. Se perder a eleição para prefeito, Kajuru não perde nada, pois continuará no Senado e terá seu nome ainda mais massificado para pleitos futuros — como o governo do Estado em 2022, quando enfrentaria Ronaldo Caiado, seu amigo e aliado.

O fato é que, sem Kajuru, seu grupo é, politicamente, fraco. Pesquisas indicam que transfere votos tanto para Dra. Cristina quanto para Elias Vaz. Mas não numa proporção que possa garantir a vitória de um deles. O eleitor quer Kajuru, não necessariamente um preposto. Noutras palavras, os votos são seus, quando está na disputa, mas, se sai do páreo, os votos são transferidos para outros políticos. Há eleitores de Kajuru, por exemplo, que apoiam, paradoxalmente, Delegado Waldir e Vanderlan Cardoso (se Kajuru não for candidato). E rejeitam tanto Iris Rezende quanto qualquer nome do PSDB.

Quando se revela que Kajuru não será candidato, o deputado Delegado Waldir Soares salta para primeiro lugar, superando Vanderlan Cardoso, Maguito Vilela, Iris Rezende, Francisco Júnior, Adriana Accorsi.

Sem Kajuru, a possibilidade de Delegado Waldir ser eleito é alta, sobretudo se Jair Bolsonaro, que estará na Presidência da República, falar publicamente que é o seu candidato. Os dois são, mais do que aliados, amigos.

Depois de Kajuru e Waldir, Vanderlan Cardoso está no páreo. Eleito senador, o mais bem votado, tem chance de ser eleito prefeito. Por isso sua tendência de ficar como oposição tanto a Iris Rezende quanto a Ronaldo Caiado. O eleitor de Goiânia aprecia votar num prefeito que tenha perfil independente ao governador do Estado.

Uma coisa é certa: todos têm de rezar para Kajuru não disputar. Ele desequilibra jogo político-eleitoral.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.