As razões que levam os aparecidenses a não aceitarem Waldir Soares

Sem presença na cidade, Waldir Soares, mesmo tendo votos, não agrega apoio. O que mais falta, segundo os tucanos, é diálogo | Foto: Alexssandro Loyola

Sem presença na cidade, Waldir Soares, mesmo tendo votos, não agrega apoio. O que mais falta, segundo os tucanos, é diálogo | Foto: Alexssandro Loyola

Ao “receber” Aparecida de Goiânia, o deputado federal Waldir Soares devia, aos olhos dos aparecidenses, fazer algo. Deveria: reunir as lideranças; andar pela cidade buscando conhecê-la; indicar nomes do município para cargos do governo; criar representatividade; e criar o diretório.

Porém, o deputado mais votado de Goiás não fez nada disso. Por quê? Os motivos são muitos e o principal deles é que Waldir não quer Aparecida e sim Goiânia. O delegado entende que, ao “receber” Aparecida para comandar, ganhou também um sinal: o de que deveria ser candidato à Prefeitura em 2016, o que ele não quer por pleitear candidatura na capital.
Por isso, a única ação de Waldir em Aparecida foi indicar o presidente da comissão provisória, Allison Cabral.

A reclamação dos aparecidenses é justa: Waldir não é da cidade, mora em Goiânia. O mesmo acontece com João Campos e Fábio Sousa, nomes que já foram cogitados para disputar a prefeitura do município. Para eles, os tucanos aparecidenses, quem deveria ter direito à candidatura deveria ser alguém da cidade. Quem?

Um dos nomes apontados é o do Professor Alcides — empresário que não é do PSDB, mas pode se filiar; foi candidato a vice na chapa de Vanderlan Cardoso (PSB), nas eleições do ano passado.

Outros nomes cogitados são os do presidente da Associação Co­mercial de In­dustrial de Aparecida (Aciag), Osvaldo Zilli, e do comandante geral da Polícia Militar, coronel Sílvio Benedito. O ponto forte dos dois seria exatamente o de que nenhum têm vícios políticos.
Os nomes de Cybelle Silva Tristão e Manoel Nascimento Macedo. A primeira é delegada da Polícia Civil e foi suplente de Vilmar Rocha quando este disputou o Senado no ano passado. Cybelle é a única mulher na Câmara Municipal de Aparecida. Já Manoel Nascimento é vereador e foi candidato a deputado estadual em 2014 e recebeu 10.720 votos.

Mas a questão é: esses nomes, sendo em grande parte desconhecidos da população, conseguirão vencer as eleições numa cidade onde o prefeito, Maguito Vilela (PMDB), é bem avaliado? Se­gundo os tucanos municipais, sim, pois a conjuntura é ideal. Maguito não pode se reeleger e não há nomes fortes na disputa até o momento. “Mas para que possamos vencer é preciso ter união e incentivo, sobretudo por parte do governador do Estado, que hoje não tem nenhum representante no município. Acho isso ruim para o partido”, diz um pré-candidato a vereador.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

jose aurelio

o unico candidato forte hoje pela oposiçao se o psdb quizer o nome certo e professor alcides ribeiro filho tem uma grande historia em aparecida de goiania e dono de facudade e colegio alfredo nasser e ele e de aparecida todos conhece aparecidense e todos bairro de aparecida o povo conhece professor alcides como educador e espotista e dono do bazar professor alcides fica aqui um grande conselho do amigo jose aurelio exm. vereador de aparecida de goiania por dois mandatos