José Nelto pode trocar o Podemos pelo Democratas ou pelo MDB

O deputado federal adora o Podemos, que lhe deu força em Brasília. Mas, se ficar no partido, pode não se reeleger em 2022

Aos interlocutores públicos, o deputado federal José Nelto sugere que “é mais fácil sair da política do que do Podemos”. Está, quando diz isto, jogando para a plateia e para a presidente nacional do partido, a deputada federal Renata Abreu.

Entretanto, em conversas privadas com alguns interlocutores — os de “confiança” —, sugere que está mesmo de saída do Podemos. Admite que “aprecia” o partido, que lhe deu força na Câmara dos Deputados e lhe possibilitou que trouxesse recursos para várias prefeituras de Goiás. Mas indica que, entre a paixão e a razão — o realismo —, terá de ficar com a segunda, se quiser continuar frequentando os gabinetes e corredores do Legislativo nacional e dos ministérios.

José Nelto, deputado federal pelo Podemos: crucial mesmo não é o partido, mas uma reeleição garantida| Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

José Nelto é adepto do realismo absoluto — afinal, para ele, política nunca é sonho. Por isso, abriu conversações com líderes de vários líderes políticos. Se deixar o Podemos — o fim das coligações praticamente anula a força eleitoral do partido, que não tem nomes fortes para deputado federal —, José Nelto (que não quer mais ser chamado de Zé, porque o provincianiza) pode se filiar ao Democratas do governador Ronaldo Caiado, ao Republicanos do deputado federal João Campos ou ao MDB de Daniel Vilela. Os três partidos o aceitarão de bom grado, sem colocar nenhum empecilho. Até porque, goste-se ou não dele, é um político atuante e com uma grande capacidade de trabalho.

Vale lembrar que na disputa de 2018, contando com ampla estrutura partidária e financeira, José Nelto obteve apenas 61.809 votos (2,04%). Ou seja, para ser eleito, contou com o quociente eleitoral, isto é, cerca de 100 mil votos de sua coligação. Se ficar no Podemos, mas sem a montagem de uma chapa forte, mesmo se dobrar a votação, para 122 mil votos, não terá, possivelmente, condições de ser eleito

José Nelto só teve mais votos do que o deputado Major Vitor Hugo, do PSL, que, com apenas 31.190 votos (1,03%), foi eleito — carregado pela espetacular votação do deputado Delegado Waldir Soares, PSL, reeleito com 274.406 votos (9,05%). Não à toa, em Goiás e em Brasília, Vitor Hugo é conhecido como “deputado-mochila”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.