Um ex-deputado relata que, ao examinar uma pesquisa sobre a disputa pela Prefeitura de Goiânia, ficou intrigado com alguns fatos.

O primeiro fato é que ninguém deslanchou. Fala-se que o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, é “fraco” e que pode ser derrotado na disputa eleitoral de outubro de 2024. Porém, a pesquisa não sugere isto, sobretudo porque, dos pré-candidatos apresentados, nenhum está deslanchando. Todos estão embolados. A deputada federal Silvye Alves, do União Brasil, até aparece em primeiro lugar, porém com a deputada federal Adriana Accorsi, do PT, o senador Vanderlan Cardoso, do PSD, o deputado federal Gustavo Gayer, do PL, e Rogério Cruz, do Republicanos, embolados. As diferenças entre elas são mínimas.

Prefeito quer inaugurar em junho a obra | Foto: Secom
Rogério Cruz: o prefeito de Goiânia está no jogo para 2024 | Foto: Secom

Segundo, a pesquisa indica que, de fato, os cinco têm potencial de voto. Terceiro, sugere que os eleitores estão em busca de um “administrador” — uma espécie de “gerentão” que planeja e faz obras — e eles dizem que, dos nomes citados, há dois “gestores”, Vanderlan Cardoso e Rogério Cruz. Quarto, os eleitores não identificam Ana Paula Rezende com seu pai, Iris Rezende. Eles não conhecem a empresária. Porém, se a associação com o nome de Iris Rezende é feita, os eleitores se interessam pelo nome da política do MDB.

Adriana Accorsi: política altamente competitiva em Goiânia | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Porém, de acordo com o ex-deputado, há duas questões que chamam a atenção. Primeiro, o nome de Jorge Kajuru é bem visto. Ele é apontado como o senador que se preocupa com a saúde das pessoas, notadamente das mais pobres. Os eleitores mencionam que o político do PSB atua no campo da “proteção” dos que têm diabetes e câncer. O senador aparece embolado com os demais pré-candidatos, e à frente de Elias Vaz, seu principal aliado político, Ana Paula Rezende e Romário Policarpo (que está se preparando para se filiar ao MDB).

Ana Paula Rezende: nome com potencial de crescimento | Foto: reprodução

Segundo, o vice-governador Daniel Vilela, na pesquisa estimulada, aparece como “forte” candidato a prefeito de Goiânia. O presidente do MDB é bem avaliado. Se não identificam Ana Paula Rezende com Iris Rezende, os eleitores conectam Daniel Vilela com seu pai, Maguito Vilela.

Daniel Vilela também aparece embolado com os pré-candidatos citados, à frente de Ana Paula Rezende, Edward Madureira e Rogério Cruz. Ele está colado em Silvye Alves, Adriana Accorsi, Vanderlan Cardoso, Gustavo Gayer e Kajuru. A pesquisa semi-qualitativa não apurou isto, pois não era seu objetivo, mas é possível que, citando Daniel Vilela, os eleitores estejam se lembrando de Maguito Vilela — que, eleito prefeito de Goiânia, em 2020, morreu, em 2021, sem ter a chance de administrar a capital, um de seus sonhos políticos.

Silvye Alves: sua consistência eleitora na capital é inquestionável | Foto: Divulgação

Costuma-se sugerir que, a tantos meses das eleições — serão realizadas daqui a um ano e seis meses —, os eleitores não estão interessados na questão. O que a pesquisa mostra é que, desde já, eles estão examinando os pré-candidatos. E apontam que, mais do que renovação, estão em busca de um “administrador”.

O que os eleitores mais apreciam? A maioria afirma que gosta de “cidade limpa”, “escolas com aulas”, “atendimento mais rápido e eficiente na saúde”, “segurança nos bairros” (a pesquisa indica satisfação com a segurança pública, sobretudo com a presença mais ostensiva da Polícia Militar nas ruas, nos bairros). Há reclamações sobre buracos no asfalto, mas também ressalvas de que “é assim mesmo, sobretudo em período chuvoso”. O que não se perdoa, afiançam os pesquisados, é sujeira frequente nas ruas, coleta de lixo deficiente.

Jorge Kajuru: o senador é o nome “da” saúde e “da” educação | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Quando se menciona o transporte coletivo, há um desânimo geral: não se acredita que irá melhorar. Mas é ruim e caro? A maioria postula que “não”, mas reclama, em relação a algumas linhas, da “demora” dos ônibus.

Daniel Vilela: o vice-governador estaria se resguardando para a disputa do governo de Goiás em 2026 | Foto: Euler de França Belém/Jornal Opção

Quem contratou a pesquisa disse que, por enquanto, não quer divulgar os números. Porque está fazendo pesquisa para definir táticas e estratégias (e, claro, alianças políticas). A partir de setembro deste ano, fará uma pesquisa a cada dois meses. E, a partir de março de 2024, fará uma pesquisa a cada mês. Aí começará a divulgá-las.

Romário Policarpo, presidente da Câmara Municipal de Goiânia | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

A fonte faz questão de alertar: “O goianiense está à procura de um gestor, e não de discursos bonitos e pomposos. A partir dos dados da pesquisa, fica-se com a impressão de que, de um prefeito, o que se exige é mesmo o ‘arroz com feijão’, desde que seja bem-feito, e não projetos ‘fantásticos’, como ‘cidade inteligente’”. (E.F.B.)