Joice Hasselmann sugere que assessor de Bolsonaro é homossexual e provoca crise

A deputada federal, citando Filipe Martins, diz que respeita “os viados assumidos. Os que são corajosos”. O presidente ficou do lado do assessor

Joice Hasselmann: ataques duros e carregados de preconceitos | Foto: Divulgação

A crise entre o presidente Jair Bolsonaro e a líder — ou ex-líder — do governo no Congresso, Joice Hasselmann, extrapolou o campo político. A deputada federal do PSL, comentando declarações de Filipe Martins, que defende o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do chefe do Executivo, bateu abaixo da linha de cintura, o autêntico golpe baixo.

Joice Hasselmann disse de Filipe Martins: “Ei, macho, macho man! Respeito os ‘viados’ assumidos. Os que são corajosos. Os que se escondem no conservadorismo, fazem pinta de machões escondidos em suas pseudos canetas e ficam mandando indiretas como se fossem ‘machos’ não merecem o meu respeito. Frouxo é frouxo, não importa o posto que tenha”. Assessor especial da Presidência, Filipe Martins havia dito: “Eduardo Bolsonaro é o líder [parlamentar] natural do PSL. O requerimento, assinado por 27 deputados federais, para que ele se torne o líder de fato e de direito do partido vem em boa hora. O PSL e a sua bancada precisam de um líder capaz de conduzi-los em consonância com os anseios populares”.

O deputado estadual Douglas Garcia, do PSL, atacou Joice: “Agora o Congresso tem uma parlamentar que se preocupa com a saída do armário alheia. Basicamente ela disse que só os ‘viados’ assumidos podem ser machos, os discretos não. Vejam só: mais de um milhão de votos para ser fiscal da vida íntima dos outros”. A deputada não titubeou: “Sentiu o baque, mona?”

Bolsonaro não gostou da “apreciação” de Joice e ficou do lado de Filipe.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.