O novo secretário pode ser definido como um desenvolvimentista responsável, tanto que será rigoroso com o ajuste fiscal

O novo secretário da Fazenda, João Furtado, agradou por alguns motivos. Primeiro, dada sua proximidade com o governador Marconi Perillo, chega forte. Segundo, devido à sua austeridade no trato da coisa pública, sabe-se que o ajuste fiscal, que tem mantido o Estado longe da crise que afeta Estados como Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro, será mantido. Terceiro, tendo ocupado vários cargos, além de ser procurador do Estado, é um homem público experimentado e competente. Quarto, por causa de seu conhecimento jurídico, sabe, como poucos, as regras de funcionamento do Estado. Quinto, embora defenda um Estado enxuto, é um desenvolvimentista da linha responsável.