Foto: Jefferson-Rudy-Agência-Senado

Pré-candidato a presidente pelo PSL, o deputado federal Jair Bolsonaro trabalhou, inicialmente, para ter um militar, notadamente um general, na sua vice. Seria um recado de que, com dois militares, seu governo seria mesmo duro. Ao mesmo tempo, se tentarem derrubá-lo — digamos com um impeachment —, a vice estaria garantida para um “político”, no caso militar, da linha dura.

Embora um militar não esteja descartado, políticos experimentados sugerem a Bolsonaro que convide um civil ou uma mulher para sua chapa — para torná-la mais suave ou palatável. No momento, embora seja cotada para disputar mandato de deputada federal — e até de governadora —, por São Paulo, a professora Janaína Paschoal, da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, é um dos nomes mais cotados para ser vice do presidenciável do PSL.