Iris Araújo teme receber votação expressiva mas ficar fora da Câmara dos Deputados

A pré-candidata receia ficar na chapa de Daniel Vilela e não conseguir se viabilizar

Iris Araújo dificilmente conquistará 200 mil votos para se eleger sem precisar dos votos de outros postulantes a deputado federal

Reuniões e mais reuniões têm sido marcadas no Paço Municipal de Goiânia para discutir um assunto seriíssimo. O Plano Diretor da capital? Nada disso. O assunto é de outra natureza — nada administrativo e inteiramente político. Trata-se de Iris Araújo, apontada como prefeita ad hoc da cidade.

Como o deputado estadual José Nelto está preparando sua saída do MDB, para acompanhar Ronaldo Caiado e aliar-se ao deputado federal Waldir Delegado Soares (PSL) — o emedebista retirante acredita que o policial poderá carregá-lo —, o partido só terá uma candidata consistente, Iris Araújo. Porém, para se eleger, precisa de 200 mil votos (é o quociente eleitoral), o que, apesar do empenho do prefeito Iris Rezende, seu marido, dificilmente obterá. O pré-candidato do MDB a governador, Daniel Vilela, promete lançar mais uns três candidatos — um deles seria o ex-prefeito de Jataí Humberto Machado —, todos coadjuvantes, para alavancar a campanha da protagonista. Mas não está fácil conquistar postulantes.

Ante o quadro de risco, tanto Iris Araújo quanto Iris Rezende, com todas as luzes amarelas acesas, como sinal de alerta, estão preocupados. Os irisaraujistas sugerem que a salvação da candidata é uma composição com a chapa de Ronaldo Caiado, o pré-candidato a governador do DEM. Na chapa do presidente do partido Democratas, os nomes praticamente definidos são o delegado Waldir, o produtor rural José Mário Schreiner, o médico Zacharias Calil e o deputado José Nelto. Acredita-se que, se Iris Araújo entrar no “pacote”, a chapa pode eleger até três deputados federais (se Waldir Soares repetir, ao menos em parte, a votação de 2014). Os mais cotados são Waldir Soares, Iris Araújo e José Nelto (a tendência, se configurar esta chapa, é Schreiner ficar na suplência).

Se ficar fora do chapão caiadista, Iris Araújo teme receber uma votação expressiva, como Jorge Kajuru em 2014, mas ficar fora da Câmara dos Deputados.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.