Intervenção nacional pode retirar Flávio Canedo do comando do PL em Goiás?

Jornalista aliado do empresário garante que isto não procede e que ele e Magda Mofatto estão firmes no comando do partido em Goiás

O que se comenta, em Brasília, é que o comando nacional do PL pode destituir o empresário Flávio Canedo da presidência do PL em Goiás.

Marido da deputada federal Magda Canedo, Flávio Canedo é o principal responsável pela força do PL em todo o Estado, pois mantém contato com prefeitos e vereadores constantemente. É o operador do partido. Não há, a rigor, insatisfação com o seu comando, afiançam membros da legenda.

Flávio Canedo, Gustavo Mendanha e Magda Mofatto | Foto: Divulgação

Mas há uma pedra no caminho.

O PL tem candidato a governador, o deputado federal Major Vitor Hugo, mas, de acordo com vitorhuguistas, os deputados federais Magda Mofatto e Professor Alcides Ribeiro, embora filiados ao partido, estão atuando como “coordenadores informais” da pré-campanha de Gustavo Mendanha, do Patriota.

As estruturas pessoais de Magda Mofatto e Professor Alcides estariam sendo usadas para favorecer Mendanha. Agora, o que se vai investigar é se a estrutura partidária também está sendo utilizada para bancar o postulante do Patriota.

Professor Alcides e Gustavo Mendanha | Foto: Reprodução

Se a estrutura do PL estiver sendo usado na campanha de Mendanha, aí sim, a direção nacional poderá tomar providências, sob pressão tanto do presidente Jair Bolsonaro quanto do deputado Major Vitor Hugo. Porque estará caracterizada infidelidade partidária.

Durante a campanha, o PL em Goiás contará com o fundo eleitoral, que deve ser usado unicamente na campanha dos candidatos a governador, senador, deputado federal e deputado federal do partido. Mas, assim como os outros partidos, o PL tem o fundo partidário para mantê-lo.

No sábado, 30, um jornalista ligado a Flávio Canedo disse, de maneira peremptória, que o presidente do PL em Goiás não acredita em intervenção, sobretudo porque a existência do partido no Estado se deve exclusivamente ao trabalho de Magda Mofatto e dele próprio. Major Vitor Hugo é visto como um “chegante”, ou seja, um “cristão-novo” no PL.

As relações políticas entre Magda Mofatto e o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, são, na opinião dos que comandam o partido em Goiás, “sólidas”. Porque a parlamentar é responsável pela força política no Estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.